Morre Jaime Lerner, urbanista que priorizou o transporte público e a cidade para pessoas

Morre Jaime Lerner, urbanista que priorizou o transporte público e a cidade para pessoas

O Brasil perdeu hoje um de seus maiores arquitetos e urbanistas, o curitibano Jaime Lerner. Aos 83 anos, ele faleceu devido a problemas renais crônicos.

Lerner era celebrado dentro e fora do Brasil. Foi três vezes prefeito de Curitiba e duas vezes governador do Paraná. Inovador, da sua prancheta de arquiteto saíram projetos que tornaram a capital paranaense referência em mobilidade urbana para o mundo, como as vias rápidas para a circulação de ônibus, o sistema de transporte BRT, e as estações tubos para os passageiros, que facilitavam a entrada rápida aos veículos.

Apaixonado por cultura e meio ambiente, se empenhou em garantir o acesso para todos os curitibanos a eles, através da construção de parques e espaços verdes na cidade, e também, teatros e espaços para shows e concertos.

De uma maneira ou outra, a mão de Lerner está presente em projetos como o Jardim Botânico, a Ópera de Arame, o Teatro do Paiol, o Museu Oscar Niemeyer, os Parques Barigui e São Lourenço, a Pedreira Paulo Leminski e a rua mais famosa da capital, a XV de Novembro, chamada carinhosamente pelos curitibanos de “Rua das Flores”.

Sua mente nunca parou. Nos períodos que não ocupou cargos públicos, desenvolveu planos urbanísticos para várias cidades do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador, Aracaju, Natal, Goiânia, Campo Grande e Niterói, assim como prestou assessoria internacional para cidades como Caracas, Shangai, Havana e Seul. Também foi consultor em assuntos urbanos para as Nações Unidas.

Por causa de seu trabalho profícuo ao longo de sua carreira, recebeu diversos reconhecimentos, como o Prêmio Máximo das Nações Unidas para o Meio Ambiente (1990), UNICEF Criança e Paz (1996), The 2001 World Technology Award for Transportation (2001), Prêmio “The 2002 Sir Robert Mathew Prize for the Improvement of Quality of Human Settlements”, pela União Internacional de Arquitetos – UIA,  e Prêmio “Volvo Environment Prize 2004”.

Em 2010, Lerner apareceu entre os 25 pensadores globais mais influentes pela Time Magazine.

E há três anos, em 2018, numa lista de 100 profissionais ilustres indicada pelos leitores da revista alemã Planetizen, o curitibano foi eleito o segundo urbanista mais influente do mundo, ficando atrás apenas de Jane Jacobs, escritora e ativista.

Como minha sócia, a também jornalista Mônica Nunes escreveu na época, “Este brasileiro inovou de fato. Lerner bradou aos quatro ventos que as pessoas devem morar perto de onde trabalham e jamais perder tanto tempo no transporte. Ele falou de Acupuntura Urbana (escreveu um livro e gravou um vídeo sobre o assunto quando ganhou o Prêmio Planeta Casa, da revista Casa Claudia, em 2008), criou a Rua Portátil… e chegou a escrever um rap sobre suas ideias avançadas, ao mesmo tempo que tão simples. Ele cantou essa música em uma palestra que fez para a conferência TEDTalks (veja vídeo mais abaixo).

Lerner é um gênio! Por isso, será sempre lembrado assim”.

Foto: Instituto Jaime Lerner

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta