PUBLICIDADE

Morre Alberto Setzer, idealizador do mais importante programa de monitoramento de incêndios florestais do país

Morre Alberto Setzer, idealizador do mais importante programa de monitoramento de incêndios florestais do país

O Brasil perdeu na sexta-feira (08/09) um dos mais importantes pesquisadores da área ambiental. Aos 72 anos, Alberto Setzer sofreu um infarto e não resistiu. O pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) era uma referência na sua área de trabalho. Foi o idealizador do Programa Queimadas da instituição para o monitoramento de queimadas e incêndios florestais e também, o precursor no projeto de Meteorologia Antártica do Brasil.

Segundo nota divulgada pelo instituto, Setzer era um “defensor fervoroso do meio ambiente, educando o público sobre questões ambientais e inspirando jovens a seguirem carreiras na ciência ambiental, contribuiu significativamente na formação de pessoas tanto no INPE com em outras instituições”.

Nascido em São Paulo, capital, em 1951, o Setzer formou-se em Engenharia Mecânica pela Escola de Engenharia Mauá (1973), com mestrado em Engenharia Ambiental. Depois estudou em Israel, no Technion Institute, e fez seu doutorado em Engenharia Ambiental, na Universidade de Purdue, nos Estados Unidos.

Sua carreira no Inpe começou em 1977, como pesquisador,no setor de meteorologia, com pesquisas sobre a dispersão de poluentes na atmosfera, e o uso de imagens de satélites para o desenvolvimento de sistemas avançados de detecção e previsão nos temas de monitoramento de queimadas com imagens de satélites, risco de fogo da vegetação, e meteorologia Antártica.

“Seu legado é marcado por prêmios e realizações que refletem sua paixão inabalável pela proteção da Terra e seu desejo de contribuir para apoiar o desenvolvimento de políticas públicas que auxiliassem para o desenvolvimento de um mundo mais sustentável”, escreveu o Inpe em nota. “A morte deste cientista ímpar é uma perda indescritível, um ser merecedor de todas as honras, seu legado e contribuição permanecerão para as futuras gerações”.

O Observatório do Clima também publicou uma nota de pesar, ressaltando o importante trabalho e legado deixado por Setzer.

“Durante mais de três décadas Setzer foi o jardineiro fiel das queimadas, mantendo o monitoramento por satélite do fogo e permitindo ao país entender o que estava acontecendo na Amazônia mesmo quando o Inpe ficou sem recursos para os cálculos de desmatamento. Se hoje nós falamos em desmatamento zero, isso se deve em enorme medida ao trabalho metódico e incansável do pesquisador paulista”, diz Claudio Angelo, coordenador de Comunicação e Política Climática do OC.

Foto de abertura: divulgação Inpe

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE