PUBLICIDADE

Meses após nascimento, filhote de canguru que vive em árvores, aparece pela primeira vez pela bolsa da mãe

Meses após nascimento, filhote de canguru que vive em árvores, aparece pela primeira vez pela bolsa da mãe

Pra começar, essa espécie não é nativa na Austrália. E no lugar de saltos no chão, ele usa a força do seu corpo para pular em árvores e seu rabo para manter o equilíbrio. O canguru-arborícola-de-goodfellow  (Dendrolagus goodfellowi) é uma espécie encontrada nas montanhas das florestas tropicais de Papua Nova Guiné, uma ilha no Oceano Pacífico, na Oceania.

Nos últimos 30 anos, infelizmente, a caça e a destruição de seu habitat fizeram com que sua população tivesse uma redução de 50%. Hoje essa espécie de canguru é considerada em risco de extinção pela Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês).

Mas toda vez que há o nascimento de um novo filhote, mesmo que em cativeiro, renasce a esperança de preservação da espécie. Foi o que aconteceu no Chester Zoo, no Reino Unido, um dos principais centro de reprodução de animais ameaçados do mundo.

Biólogos consideram o processo de nascimento do canguru-arborícola-de-goodfellow um dos mais complexos do mundo animal. Logo que nasce, o filhote é muito pequeno, tem o tamanho aproximado de uma bala de goma e ainda precisa se desenvolver mais.

“Momentos após o parto, com os olhos ainda bem fechados, o filhote sabe subir instintivamente pela barriga da mãe e entrar em sua bolsa – seguindo um canal que ela demarcou lambendo seu pelo. Uma vez seguro na bolsa, o bebê recebe toda a nutrição de que precisa enquanto cresce e se desenvolve por mais seis meses – até começar a colocar sua cabeça para fora”, explica Dave White, do Chester Zoo.

Foi o que aconteceu há poucos dias, quando o filhotinho começou a explorar o mundo pela primeira vez, ainda na segurança da bolsa marsupial da mãe. Em breve, entretanto, ele deve se aventurar fora dela e começar a subir pelas árvores. Só aí poderá se descobrir se é um macho ou uma fêmea.

Meses após nascimento, filhote de canguru que vive em árvores, aparece pela primeira vez pela bolsa da mãe

Primeiros registros do filhote colocando a cabeça pra fora da bolsa da mãe
(Foto: divulgação Chester Zoo)

O canguru-arborícola é muito menor do que os existentes na Austrália. No chão, são desengonçados ao andar, mas no ar conseguem dar pulos de até 9 metros entre árvores. Suas longas garras curvas e seus pés os ajudam nas escaladas entre os galhos.

Herbívoros, esses marsupiais se alimentam de flores, folhas e gramíneas.

“Esses animais notáveis sofreram tremendamente na natureza. Eles são caçados por sua carne e seu habitat está desaparecendo à medida que as florestas são derrubadas para a extração de madeira e para dar lugar a plantações de café e arroz”, diz White.

Para acompanhar o crescimento do filhote e entender melhor como a espécie se reproduz, os veterinários do Chester Zoo inseriram cuidadosamente um endoscópio de tempos em tempos nos últimos meses.

As imagens incríveis você confere no vídeo abaixo:

Leia também:
Zoológico de Adelaide dá boas-vindas a novo filhote de quokka, o mais simpático dos marsupiais australianos
Sob pressão nos Jogos Olímpicos de Inverno, uma das maiores fabricantes de patins anuncia que não usará mais couro de canguru
Diabo-da-tasmânia é reintroduzido na Austrália continental após 3 mil anos

Foto de abertura: divulgação Chester Zoo

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE