PUBLICIDADE

“Me recuso a viver no ódio da humanidade!” diz atriz canadense Amrit Kaur, que pede por cessar-fogo em Gaza ao receber primeiro prêmio

Há doze anos promovido pela Academia Canadense de Cinema e Televisão, o Canadian Screen Awards reconhece o melhor do cinema, televisão e mídia digital no país. Os vencedores do prêmio de 2023 foram apresentados na semana passada, no Canadian Broadcasting Centre, em Toronto. E a cerimônia foi marcada pelo manifesto político e humanitário da atriz Amrit Kaur, de 31 anos.

Ela recebeu seu primeiro prêmio de melhor atriz (de filme dramático) por sua interpretação em The Queen of My Dreams (A Rainha dos Meus Sonhos), sem estreia prevista para o Brasil. 

Amrit se solidarizou com o povo palestino, que sofre com o genocídio promovido por Israel na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, desde outubro de 2023. E se rebelou contra a pressão da indústria do entretenimento que “aconselha” atores e atrizes para não se posicionarem a respeito de assuntos polêmicos como este.

Muito emocionada, iniciou seu discurso agradecendo ao país onde nasceu, ao ator Hamza Haq, que lhe entregou o prêmio, aos pais e a todos que tornaram possível a realização desse trabalho, como a diretora Fawz Mirza e a diretora artística Michele Lonsdale Smith.

Em seguida, chamou a atenção do público presente para a tragedia humanitária vivida pela Palestina. “Precisamos pressionar pela unidade entre esses dois países. A colonização nos empurrou para um lugar de divisão, de genocídio”.

E denunciou: “Esta é uma época assustadora para ser artista. Estou assustada. Estou com medo de falar. Mas este prêmio me lembra que sou uma artista. E, como artista, é meu trabalho sentir e ter empatia. E, para aqueles de vocês que estão dizendo a nós, artistas, para não falarmos abertamente [sobre a Palestina] com medo de perdermos nossos empregos, com medo de perdermos nossas carreiras, com medo de perdermos nossa reputação, vocês estão nos dizendo para NÃO SERMOS ARTISTAS. E quero dizer à vocês que SOU UMA ARTISTA”.

“Me recuso a sacrificar e viver no ódio da humanidade. Cessar-fogo já! Palestina livre!”.  

“Me dizem pra não ser artista, para ser uma marionete!”

O discurso de Amrit acontece depois que várias celebridades perderam o emprego após expressarem publicamente suas posições relacionadas a esse assunto. Melissa Barrera, do elenco do filme Pânico 7, foi demitida no ano passado.

Mais recentemente, Nicola Coughlan, estrela de Bridgerton, revelou que foi informada que sua carreira seria afetada devido a seu apoio público à crise humanitária na Faixa de Gaza. Disseram-lhe também que agentes, agências e estúdios possivelmente não trabalhariam mais com ela devido a sua defesa de Gaza. Mesmo assim, ela continuou usando o bottom do movimento Artists4Ceasefire (sobre o qual falamos aqui), durante a turnê de imprensa global da terceira temporada de Bridgerton (foto abaixo).

Nicola com o pin vermelho do movimento Artists For Ceasefire no pulso
Foto: reprodução do Instagram 

Como contamos aqui, desde que os ataques de Israel começaram, Nicola tem promovido a doação de fundos para as vítimas e para o trabalho de organizações não-governamentais. Nos últimos sete meses, por meio de seu perfil no Instagram, arrecadou 1,7 milhões de euros, quase 10 milhões de reais, para a causa palestina, Incluindo suas próprias doações.

Na coletiva de imprensa, após a premiação, Amrit disse que queria muito ganhar o prêmio para fazer aquele discurso. “Se estou sendo silenciada, então me dizem para não ser uma artista, para ser uma marionete”, protestou.

“Isso é uma coisa real e é realmente assustadora, especialmente porque as pessoas de cor passaram tanto tempo sendo marginalizadas e por tanto tempo disseram que não podemos operar nos espaços para falar. Mas é sobre humanidade! É sobre a vida humana! E ponto final, a linha foi ultrapassada!”.

Indicações e prêmios 

The Queen of My Dreams foi exibido no Festival de Cannes em maio de 2023 e sua estreita mundial aconteceu no Festival Internacional de Cinema de Toronto, no mesmo ano. O filme também foi selecionado para disputar o prêmio Jean-Marc Vallée DGC Discovery 2023.

Neste 12º Canadian Screen Award venceu duas de cinco indicações: Melhor Atriz de Filme Dramático (Kaur) e Melhor Canção Original (Qurram Hussain por ‘Ishq Ki Na Koi Bhi Hud Hai’)

Mas a disputa pelos prêmios de Melhor Roteiro Adaptado (Mirza), Melhor Direção de Arte/Design de Produção (Michael Pierson) e Melhor Trilha Sonora Original (Alysha Brilla)valorizou ainda mais esta comédia dramática escrita e dirigida por Fawzia Mirza, em sua estreia como diretora. 

Estrelado por Amrit Kaur, como Azra, conta a história de uma mulher canadense paquistanesa, que tem um relacionamento tenso com seus pais desde que se declarou lésbica e passa por uma forte jornada emocional após a morte repentina e inesperada de seu pai, Hassan, interpretado por Hamza Haq.

A seguir, assista ao discurso comovente de Kaur:


_______________

Agora o Conexão Planeta também tem um canal no WhatsApp. Acesse este link, inscreva-se, ative o sininho e receba as novidades direto no celular.

Foto: George Pimentel/Canadian Screen Awards/divulgação

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE