Mandíbula de cão cresce novamente após retirada por causa de um câncer

Mandíbula de cão cresce novamente após retirada por causa de um câncer

O buldogue francês Tyson tinha apenas 3 meses de vida quando seus tutores descobriram que ele estava com um câncer na mandíbula. Era um carcinoma espinocelular papilar, o segundo tumor oral maligno mais comum em cães. Para tirá-lo, médicos veterinários da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, precisariam remover grande da área afetada.

Tomografias mostravam que o câncer era localizado e se extirpado o tumor, Tyson tinha chances de sobreviver, mesmo que ficasse com sequelas.

“Não sabíamos se queríamos fazer um filhotinho passar por tudo isso. O prognóstico na época era incerto”, relembra Melissa. “Decidimos dar-lhe uma chance e continuar com a cirurgia. Não tínhamos ideia de que sua mandíbula voltaria a crescer!”

Nem seus tutores, nem a equipe que operou o cão! Para surpresa de todos, oito semanas após o procedimento, exames revelavam que a mandíbula tinha crescido novamente. Algo assim já foi registrado em crianças, mas nunca em cachorros antes.

“A detecção precoce do tumor oral provavelmente desempenhou um papel importante na obtenção da cirurgia de remissão a longo prazo”, dizem os envolvidos na cirurgia, em um artigo científico publicado na Frontiers in Veterinary Science.

“O caso de Tyson comprova a possibilidade de regeneração óssea completa quando se trabalha com um paciente tão jovem”, explica Alexandra Wright, veterinária residente em cirurgia oral da Universidade de Cornell. “Isto foi provavelmente imperativo para a regeneração do novo osso”.

Mandíbula de cão cresce novamente após retirada por causa de um câncer

Imagem da direita (A) feita logo após a cirurgia mostra a parte da mandíbula removida. Ao lado, imagem B, revela como ocorreu a regeneração óssea e ela cresceu novamente
(Foto: divulgação/arquivo pessoal)

Segundo os veterinários, a nova mandíbula do buldogue francês funciona praticamente tão bem como a original, apesar de não possuir algumas funcionalidades da anterior. A equipe explica, por exemplo, que não há canal mandibular, onde normalmente residem os principais vasos sanguíneos e nervos, e não há dentes.

O mais importante é que não há nenhum sinal de câncer na nova mandíbula.

Pouco a pouco, Tyson tem uma vida normal, como outros cachorros. Pode, inclusive, morder seus brinquedos, algo que não lhe era permitido tempos atrás.

Mandíbula de cão cresce novamente após retirada por causa de um câncer

Tyson e uma festa de aniversário muito celebrada
(Foto: divulgação/arquivo pessoal)

*Com informações e entrevistas no texto divulgado pela Universidade de Cornell

Foto de abertura: divulgação/arquivo pessoal

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.