PUBLICIDADE

Mamãe e filhote de chimpanzé se encontram pela primeira vez dois dias após parto cesárea: “um milagre!”, dizem tratadores e veterinários

Depois de ler esta reportagem, leia sua atualização aqui (27/12/2022)

Mahale entrou em trabalho de parto por volta das 8h30 da terça-feira, 15 de novembro. Devin Turner, uma das tratadoras do Zoológico do Condado de Segdwick (Segdwick County Zoo), em Wichita, Kansas, nos EUA, estava acompanhando a chimpanzé e percebeu que ela dava sinais de exaustão e sofrimento. “Fiquei preocupada e vi ela ficar cada vez mais cansada”, contou.

Com a ajuda de colegas, Turner sedou Mahale e a levou para o centro cirúrgico. Ao confirmar a necessidade de fazer uma cesariana de emergência, a diretora de saúde animal do zoológico, Dra. Heather Arens, convidou ginecologistas para participarem do parto. 

Devido às semelhanças na anatomia dos chimpanzés e dos humanos, a colaboração de médicos humanos, num caso como este, é muito bem-vinda. E esta não foi a primeira vez que médicos humanos ajudaram a dar à luz um macaco. Em 2018, a mamãe de Lily, uma bebê orangotango, também teve dificuldades no parto e precisou de cesariana.

Assim, na companhia de Turner, a Dra. Arens e as obstetras Laura Whisler e Janna Chibry, do College Hill Obstetrics and Gynecology, garantiram a sobrevivência do filhote de Mahale, batizado de Kucheza(koo-CHAY-zuh) que, em suaili, significa brincar (suaíli é a língua oficial de Uganda e da República Democrática do Congo, mas falada por 50 milhões de pessoas no mundo).

Encontro comovente

Kucheza nasceu às 13h, muito debilitado, com dificuldade para respirar. Turner foi a primeira pessoa a segurá-lo. Devido a seu estado de saúde, permaneceu sob cuidados dos médicos enquanto Mahale foi encaminhada para seu recinto, sozinha. 

Kucheza, ainda fraquinho, na enfermaria / Foto: Segdwick County Zoo/divulgação

Imagine o desespero da mãe sem seu filhote! Mas o afastamento, que durou dois dias, foi por uma boa causa. “Ficamos com ele durante a noite e, felizmente, ele melhorou e começou a responder ao tratamento”, contou a tratadora. “Seu nascimento é um milagre!”. 

Kucheza já recuperado / Foto: Segdwick County Zoo/divulgação

O encontro comovente entre Kucheza e Mahale se deu na quinta-feira, 17/11, e foi acompanhado – e filmado! – por tratadores e veterinários do zoológico.

No vídeo, é possível ver a mamãe quieta, sem ação, até avistar uma das mãozinhas do filhote se estendendo para fora de um cobertor azul à sua frente. Ela rapidamente corre até ele, o agarra e o recosta em seu corpo. No vídeo – que viralizou nas redes sociais, claro! (assista no final deste texto) – dá pra ouvir os comentários emocionados de todos que assistiam à cena. 

Mahale se recupera da cirurgia ao lado de Kucheza – agarrado à mãe o tempo todo e aproveitando a abundância de leite que ela oferece – e ambos ficarão afastados da família por mais duas semanas.

Kucheza no colo da mãe: aconchego / Foto: Segdwick County Zoo/divulgação

Todos os envolvidos no parto disseram que estão comemorando o nascimento de Kucheza como uma vitória. 

Para a Dra. Arens, a sobrevivência do filhote é fruto da cooperação entre todos em Segdwick: “O trabalho em equipe, a colaboração com médicos humanos e o apoio da comunidade, acho que é algo que nem todo zoológico tem. Estou muito feliz por fazer parte disso aqui em Wichita”. 

Boas (e más) recordações 

Como em tudo na vida, a tratadora Turner, que está em Segdwick desde 2001, já viveu muitas experiencias felizes junto aos animais, e outras nem tanto. 

À reportagem do site ’12 News’, ela contou que a última gravidez de chimpanzé no zoológico, em 2019, foi muito triste porque o filhote nasceu morto. “Foi de partir o coração ver como a mamãe ficou ao ver seu filhote sem vida”.  

Por outro lado, Turner recorda o último nascimento bem-sucedido, também de um chimpanzé: foi em 2010, quando Audra deu à luz o bebê Mabusu. Ela morreu no ano passado, aos 51 anos. Ele tem 12 anos e é um chimpanzé muito saudável.

O Zoológico do Condado de Segdwick é um parque selvagem – a grande atração de Wichita -. credenciado pela AZA – Associação de Zoológicos e Aquários, o que garante o mais alto nível de cuidados para atender às necessidades físicas, emocionais e sociais dos animais.

Em seu Facebook, o zoo declara: “Todos os animais aos nossos cuidados são embaixadores importantes para a sua espécie. Mahale e Kucheza nos lembram que os chimpanzés são animais inteligentes, carismáticos e incríveis. E eles precisam da nossa ajuda! Pequenas ações – como reciclar celulares antigos e utilizar apenas produtos de papel e óleo de palma de origem sustentável (certificado) – podem ajudar a salvar chimpanzés como Mahale e Kucheza na natureza”.

A seguir, assista ao encontro entre Mahale e Kucheza, além de outros momentos emocionantes divulgados pelo zoo desde seu nascimento.

O ENCONTRO

O PARTO

KUCHEZA, MUITO COMILÃO

MAMÃE AMOROSA E VERSÁTIL

Fotos: Segdwick County Zoo/divulgação

Comentários
guest

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ana Maria
Ana Maria
1 ano atrás

Não posso ver macacos, porque me lembro que eles sofrem por serem cobaias de experiências ”as vezes”
até sub-humanas. .

Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE