Mais de 700 indígenas estão acampados em Brasília para lutar por seus direitos. E precisam de apoio! Veja como ajudar

Mais de 700 indígenas estão acampados em Brasília para lutar por seus direitos. E precisam de apoio! Veja como ajudar

Lideranças e representantes indígenas de 40 povos de todas as regiões do país estão reunidos em Brasília, acampados ao lado do Teatro Nacional, próximo à Esplanada dos Ministérios, desde 8 de junho para protestar contra projetos como o PL 490/2007 (que libera as terras indígenas para empreendimentos) e o marco temporal , além de exigir medidas efetivas contra o garimpo ilegal, que podem levá-los a um novo genocídio.

A mobilização, que ganhou o nome de acampamento Levante pela Terra, cobra ações do CongressoNacional e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Mais de 700 indígenas estão acampados em Brasília para lutar por seus direitos. E precisam de apoio! Veja como ajudar
Marcha em direção ao Ministério da Justiça

Também rechaça a atual administração da Funai – Fundação Nacional do Índio, presidida por um ex-delegado da Polícia Federal, Marcelo Xavier, que apoia ruralistas em vez de proteger os indígenas (veja a violência com que os indigenas foram recebidos pela polícia em frente à sede do órgão, em 16/6)

Mais de 700 indígenas estão acampados em Brasília para lutar por seus direitos. E precisam de apoio! Veja como ajudar
Manifestação à frente da sede da Funai, minutos antes do ataque
da polícia com bombas de gás lacrimogêneo / Foto: Mídia Ninja

“É importante que essas manifestações aconteçam porque, caso o PL 490 seja aprovado, vai mudar todo o procedimento de demarcação de terras indígenas, abrindo brecha para ilegalidades e insconstitucionalidades como o marco temporal que está em tramitação no STF (o julgamento foi suspenso na última sexta, a pedido do ministro Alexandre Moraes), que tenta acabar com o direito dos povos indígenas à terra”, declarou a deputada indígena Joenia Wapichana, hoje, em sessão na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC), na Câmara dos Deputados. 

Mais de 700 indígenas estão acampados em Brasília para lutar por seus direitos. E precisam de apoio! Veja como ajudar
Foto: Apib

Entre as lideranças presentes ao acampamento estão Sonia Guajajara, coordenadora executiva da Apib – Articulação dos Povos Indigenas do Brasil, Alessandra Korap Munduruku, vice-coordenadora da Federação dos Povos Indígenas do Pará (Fepipa), Dário Vitorio Kopenawa (Yanomami), além de Kretã Kaingang, Dinaman Tuxá e Eloy Terena coordenadores e advogado da Apib.

Como ajudar

Os participantes do Acampamento Levante pela Terra foram chegando aos poucos em Brasília – e continuam chegando -, mas não têm data para voltar às suas aldeias. Isso depende das decisões que serão tomadas nos próximos dias por legisladores, por gestores de órgãos como a Funai, por juízes do STF.

Diante de tanta incerteza – em meio a pequenas vitórias e derrotas – e para que possam prosseguir acampados com segurança, precisam do apoio da sociedade: financeiro, de alimentos e outros materiais.

Quem mora ou está na capital federal, pode deixar doações em espécie na Praça da Cidadania, SCTN: água, alimentos não perecíveis, embalagens de marmita, máscaras e álcool em gel, colchonetes, cobertores, lonas e cordas. 

Para fazer doações em dinheiro – por pix, cartão, deposito ou pay pall – clique neste link.

Dê visibilidade à luta indígena! Acompanhe ao vivo as mobilizações do acampamento Levante pela Terra pelas redes sociais da Apib – Instagram, Facebook e Twitter -, da Mídia Índia e da Mídia Guarani Mbya. E compartilhe seus conteúdos utiizando sempre as hashtags #terraindígenafica #emergênciaindígena  #MarcoTemporalNão .

Foto (destaque): Scarlet Rocha/Apib

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta