‘Lobos do Pardo’: projeto monitora lobas-guará e filhotes sob ameaça em área de canaviais em SP

O lobo-guará é uma das espécies que mais representam a fauna brasileira e está ameaçada de extinção, principalmente devido à destruição de seu habitat.

Ele é típico do Cerrado, mas também está presente em áreas de transição com a Caatinga, o Pantanal, a Mata Atlântica e o Pampa, também para além do Brasil: Paraguai, Bolívia, Argentina e Uruguai.

Por isso é tão importante a presença de organizações que atuam no monitoramento da espécie e investigar os motivos que afetam sua sobrevivência, além de colocar em prática ações que podem ajudar a reverter as ameaças. O Instituto Pró-Carnívoros é uma dessas organizações!

Projeto ‘Lobos do Pardo’

Criado em 1996, o Instituto Pró-Carnívoros é reconhecido como um dos principais institutos de pesquisas especializados em mamíferos carnívoros do país.

Sediado em Atibaia, interior de São Paulo, atua em diversas regiões como na Serra da Canastra, em Minas Gerais, onde tem obtido resultados bastante positivos na proteção dessa espécie.

Em 2018, criou o Projeto Lobos do Pardo com o qual monitora lobos-guarás no nordeste de São Paulo, que vivem e sobrevivem em meio a pastagens e plantações de cana, de milho e de café. Há três anos, em parceria com o ICMBio/CENAP e a AES Tietê (empresa de energia), monitora e busca identificar particularidades das ameaças para implementar ações, se associando a outros parceiros locais. 

As mudanças provocadas pela invasão de seu habitat, afeta drasticamente os lobos-guará como riscos de atropelamento, além de doenças adquiridas com a proximidade de animais domésticos e da perseguição e caça por proprietários rurais

A identificação desses problemas ajuda a identificar soluções que garantam sua proteção, o que inclui o engajamento de fazendeiros na conservação da espécie.

Monitoramento de lobas e filhotes

Desde 2019, a equipe de pesquisadores do projeto acompanha duas famílias de lobos na região, “desde o pareamento à parição de filhotes”. Mas devido ao cenário relatado acima – com canaviais, pastagens, cães domésticos e estradas -, os filhotes morreram.

Para este ano, os pesquisadores mudaram a estratégia de monitoramento que tem garantido a proteção de duas novas ninhadas das mesmas lobas e que os lobinhos possam crescer e se aventurar em terras tão perigosas.

Para diminuir os riscos diários, é preciso acompanhá-los muito mais de perto utilizando equipamentos como coleiras de monitoramento. Elas são necessárias por, pelo menos, um ano. Depois, são retiradas ou caem sozinhas e precisam de manutenção.

É imprescindível prolongar o monitoramento das duas famílias de lobos-guará citadas para se possa acompanhar suas trajetórias – por onde andam e que fazendas visitam – e, assim, poder garantir a sobrevivência dos lobinhos. Por isso, mas para que tudo isso seja possível, o instituto sempre precisa de apoio financeiro.

Campanha de financiamento coletivo

Para arrecadar fundos, o Instituto Pró-Carnívoros por meio de seu projeto de educomunicação Sou Amigo do Lobo (Instagram e Facebook) – optou por lançar uma campanha de financiamento coletivo na plataforma Kickante, que já arrecadou a meta estipulada55 mil reais – graças à contribuição de mais de 450 pessoas.

Mas a campanha ainda tem mais cinco dias de arrecadação pela frente: vai até 6 de fevereiro.

Além da importância da manutenção do projeto, vale muito contribuir devido às recompensas, que são realmente muito especiais. Acompanho diversas campanhas desse tipo e fiquei surpresa com a qualidade do que é oferecido pelo Projeto Lobos do Pardo.

Além de adesivos e calendários de mesa, entre as recompensas estão capas de almofada, kits de sementes, planners 2021, braceletes de conservação, marcadores de livro em marchetaria, carteiras com bloco de notas, mochilas infantis e dois livros incríveis:
Lobinha, no qual Danilo de Souza e o ilustrador Will Marconi contam a história verídica de uma loba chamada Lobinha, “que cativou todo Brasil com sua persistência em sobreviver” e
Histórias de um Lobo, de autoria de Rogério Cunha de Paula, que integra o Projeto Lobos do Pardo, e do fotógrafo e documentarista Adriano Gambarini (um dos autores do nosso blog de fotografia Por Trás das Câmeras). Eu tenho esse livro: é belíssimo!

Desde 2013, o projeto Sou Amigo do Lobo realiza um trabalho constante de comunicação sobre os lobos guará junto ao público que mora no campo ou nas grandes cidades sobre o entendimento da relação do ser humano com os lobos, com o objetivo de contribuir para sua preservação em todo o país.

Agora, assista ao vídeo sobre o projeto Lobos do Pardo realizado por Adriano Gambarini e entenda melhor a dimensão e a importância do trabalho desenvolvido pelo Instituto Pró-Carnívoros:

Fotos: Reprodução da campanha e do Instagram

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta