Lego apresenta protótipo de primeiras peças feitas com plástico reciclado de garrafas PET

Lego apresenta protótipo de primeiras peças feitas com plástico reciclado de garrafas PET

Como produzir 60 bilhões de peças de montar por ano, feitas de plástico, quando esse material é apontado como um dos principais vilões do meio ambiente nos dias de hoje? É este o desafio que a multinacional dinamarquesa Lego vem enfrentando nos últimos anos. Por isso, sua equipe de pesquisadores vêm trabalhando sem parar para produzir uma alternativa mais sustentável às suas famosas pecinhas coloridas.

E recentemente a empresa apresentou o protótipo dos primeiros blocos fabricados a partir de plástico reciclado de garrafas PET.

De acordo com a companhia, nos últimos três anos, 150 pesquisadores participaram nos testes com mais de 250 variações de plásticos feitos com PET reciclado.

“Estamos super entusiasmados com esta descoberta. O maior desafio em nossa jornada de sustentabilidade é repensar e inovar novos materiais que sejam tão duráveis, fortes e de alta qualidade quanto nossos tijolos existentes – e que se encaixem com elementos Lego feitos nos últimos 60 anos. Com este protótipo, podemos mostrar o progresso que estamos fazendo”, diz Tim Brooks, vice-presidente de Responsabilidade Ambiental da marca.

Lego apresenta protótipo de primeiras peças feitas com plástico reciclado de garrafas PET

Em média, uma garrafa PET de plástico de um litro fornece matéria-prima suficiente para dez peças com tamanho 2×4 cm. Ainda não existe previsão de quando esses novos tijolinhos serão comercializados. A Lego afirmou que ainda são necessários mais testes.

Com o objetivo de eliminar de vez o uso de plástico virgem, em 2018, como contamos aqui no Conexão Planeta, a fabricante de brinquedos iniciou a produção com bioplástico feito de cana-de-açúcar do Brasil. Todavia, o material só funciona bem para peças menores e mais flexíveis, como árvores, galhos, folhas e acessórios para minifiguras.

“Sabemos que as crianças se preocupam com o meio ambiente e querem que tornemos nossos produtos mais sustentáveis. Mesmo que demore um pouco até que eles possam brincar com tijolos feitos de plástico reciclado, queremos que as crianças saibam que estamos trabalhando nisso e que os levem na jornada conosco. Experimentar e fracassar é uma parte importante do aprendizado e da inovação. Assim como as crianças constroem, desmontam e reconstroem com peças de Lego em casa, estamos fazendo o mesmo em nosso laboratório”, garante Brooks.

Leia também:
Fundação Lego lança blocos de montar em braille para ajudar crianças com deficiência visual
Tartaruga ferida ganha cadeira de rodas feita de Lego
Campanha #ToyLikeMe comemora lançamento de primeiro boneco Lego cadeirante

Lego anuncia produção de peças com bioplástico feito de cana-de-açúcar do Brasil

Fotos: divulgação Lego

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta