Kyrie Irving, um dos maiores jogadores do basquete americano, é afastado do time por não revelar se foi vacinado contra a covid

Kyrie Irving, um dos maiores jogadores do basquete americano, é afastado do time por não revelar se tomou a vacina contra a covid

Kyrie Irving é armador do time de basquete Brooklyn Nets, de Nova York. Ele é considerado um dos principais jogadores da National Basketball Association, a mais importante e famosa liga desse esporte no mundo, a NBA. Mas num momento em que celebridades e atletas são tão essenciais para dar o exemplo sobre a vacinação em massa para acabar com a pandemia da covid-19 – lembrando, já são 4,8 milhões de vítimas globais e quase 720 mil apenas nos Estados Unidos -, Irving decidiu não revelar se foi vacinado ou não.

Então, ontem (12/10), o Nets anunciou que o jogador não poderá participar dos jogos ou dos treinamentos nesta temporada.

Acontece que sob a determinação do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, atletas que jogam profissionalmente só poderão participar de eventos em locais públicos se estiverem totalmente imunizados. A princípio, especulou-se que Irving jogaria então os jogos em outros estados, mas agora o time afirma que não. Ele está fora até dizer se foi ou não vacinado.

“É imperativo que continuemos a construir a química como uma equipe e permaneçamos fiéis aos nossos valores de união e sacrifício há muito estabelecidos. Nossos objetivos para o campeonato desta temporada não mudaram e, para alcançá-los, cada membro de nossa organização deve seguir na mesma direção”, afirmou Steve Nash, técnico do Brooklyn Nets.

Com o trio Irving, Kevin Durant e James Harden, as apostas eram todas que o time do Brooklyn fosse o grande campeão da NBA.

Fora das quadras, Kyrie Irving faz um trabalho muito bacana para combater o racismo, estimular o empreendedorismo entre negros e mulheres, e também, pela proteção dos povos indígenas, sobretudo, a tribo Standing Rock Sioux, da qual ele é descendente. Mas parece que na questão da vacinação ele está pisando na bola.

Atletas, artistas e políticos são figuras públicas e por isso têm obrigação e responsabilidade de dar um bom exemplo. Milhões de pessoas os admiram e seguem seus passos. Cientistas do mundo inteiro já confirmaram a eficácia das vacinas contra a covid-19 e não há mais o que se debater. Cada um precisa fazer sua parte: no meio de uma pandemia, vacinar-se não é um ato individual, mas COLETIVO!

Em março deste ano, mostramos aqui, por exemplo, como vários ex-presidentes americanos, de diferentes partidos, se uniram em uma campanha pela vacinação. Barack Obama, Bill Clinton, George Bush e Jimmy Carter abraçaram a iniciativa para incentivar a população dos Estados Unidos e ressaltaram que só assim poderemos voltar a viver os momentos que tanto sentimos saudades e amamos.

Atualmente 77% dos americanos elegíveis para serem imunizados já receberam pelo menos uma dose da vacina e pouco mais de 55% as duas ou a dose única.

Leia também:
Artistas, políticos e atletas que são exemplo (ou não) na conscientização sobre a importância da vacina para acabar com a pandemia

“Eu devia ter tomado a maldita vacina!”, diz americano, pai de cinco filhos, antes de morrer de covid
Verdades e mitos sobre as vacinas contra a COVID-19
#TodosPelasVacinas: cientistas, artistas e organizações combatem fake news em prol da vacinação
Anvisa e entidades médicas reforçam que NÃO há tratamento preventivo contra a COVID

Foto: reprodução Facebook Kyrie Irving

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta