‘Junta Local’ aproxima pequenos produtores dos consumidores, agora, também em São Paulo

No próximo domingo, 1 de dezembro, os moradores da cidade de São Paulo terão oportunidade de acompanhar e conhecer o trabalho da Junta Local, projeto que acontece no Rio de Janeiro desde 2014 e que tem como proposta aproximar pequenos produtores e consumidores.

A Junta Local desembarca na Praça Rotary, na Vila Buarque, já na terceira edição da feira promovida na cidade. O lema é comida local, boa e justa, ao mesmo tempo em que o encontro e o diálogo com os produtores são incentivados com muita descontração.

No Rio, a Junta realiza feiras fixas e itinerantes, mantém uma plataforma de venda direta – a Sacola Virtual – e coordena a organização de um coletivo de mais de 120 pequenos produtores. Em São Paulo, o grupo faz uma seleção de produtores locais, unidos em torno da valorização da relação direta e da gastronomia em sentido mais amplo, como potencializadora de reflexões sobre o alimento que chega às nossas mesas, sua origem, seus processos produtivos e as pessoas envolvidas nesse ciclo.

Transformar o mundo pela comida

A proposta surgiu de uma inquietação: as pessoas e os valores deveriam estar no centro do sistema alimentar. Foi então criada uma plataforma para facilitar a relação direta entre quem produz e quem come. Uma plataforma virtual, mas também física, que permite o encontro em feiras realizadas ao longo do ano. A pegada é dar transparência e acesso à comida boa, local e justa. “Somos pequenos, somos locais e acreditamos que é possível transformar o mundo pela comida”, aponta a missão do projeto.

Em 2016, a Junta Local se transformou em uma empresa. Para se manter em funcionamento, os produtores contribuem com 18,5% do que é vendido – diferente do mercado de varejo, onde eles costumam receber menos da metade do valor de prateleira. A empresa afirma que esse percentual foi definido e aprovado em assembleias com os produtores. O recurso dá conta da estrutura de feiras, sacolas virtuais, comunicação, apoio à comunidade e investimentos.

História

Os produtores da Junta Local têm compromisso com os princípios da proposta. São pequenos agricultores, produtores artesanais, fazedores comunitários e empreendedores da área de alimentação, localizados no campo e na cidade. Ajuntados, contam com uma estrutura de apoio e mobilização coletiva.

São realizadas atividades de apoio aos produtores, que se engajam ativamente no processo, participando de tomadas de decisão, contribuindo com ideias e ações. O desenvolvimento do modelo, os desafios dos pequenos produtores e os rumos do movimento são debatidos em assembleias. Na comunidade, cinco grupos de trabalho canalizam ideias e soluções: comunidade, empreendedorismo, ética, resíduos e sacola virtual.

A transparência e a curadoria de conteúdos que revelam peculiaridades de alimentos, processos e das próprias edições das feiras estão presentes na Revista da Junta, acessível em seus site. E lá também é possível conhecer os produtores.

Mas claro, muito mais interessante e enriquecedor é conhecer a proposta e os produtores in loco. Bora para a feira na Vila Buarque!

Foto: Junta Local/divulgação

Mônica Ribeiro

Jornalista e mestre em Antropologia. Coordenou a Comunicação da Secretaria do Verde da Prefeitura de São Paulo – quando criou as campanhas ‘Eu Não Sou de Plástico’ e, em parceria com a SVB, a ‘Segunda Sem Carne’. Colabora com a revista Página 22, da FGV-SP e com a Plataforma Parceiros Pela Amazônia, e atua nas áreas de meio ambiente, investimento social privado, economia solidária e negócios de impacto, linkando projetos e pessoas na comunicação para um mundo melhor

Deixe uma resposta