Jonathan completa 190 anos: ele não é só a tartaruga mais velha do mundo, mas o mais antigo e conhecido animal terrestre vivo no planeta

Jonathan completa 190 anos: ele não é só a tartaruga mais velha do mundo, mas o mais antigo e conhecido animal terrestre  vivo no planeta

Quase dois séculos de vida. Acredita-se que Jonathan nasceu cerca de cinco anos antes da coroação da Rainha Vitória, em 1832. Durante a longa existência dessa tartaruga gigante de Seychelles (Dipsochelys Hololissa), o mundo teve duas guerras mundiais, sete monarcas no trono britânico e 40 presidentes dos Estados Unidos. A maioria desses líderes mundiais já se foi, mas Jonathan continua firme e forte, na remota Santa Helena, uma ilha britânica, a cinco dias de navio da Cidade do Cabo, na África do Sul, o mesmo lugar onde Napoleão Bonaparte morreu, no exílio, onze anos antes do estimado nascimento deste famoso e secular animal.

Jonathan é a tartaruga e o quelônio mais velho do mundo: completa 190 anos agora em 2022. E não é só. Ele também é considerado o mais antigo e conhecido animais terrestre ainda vivo do planeta. Essa façanha está, inclusive, registrada no Guiness World Records.

A tartaruga chegou à Santa Helena no final do século XIX, em 1882, como presente de um cônsul francês ao governador da ilha na época, Sir William Grey-Wilson. Ela vive nos jardins da “Plantation House”, a residência oficial da administração local, ao lado de outros três indivíduos da mesma espécie: David, Emma e Fred (em 2017, contamos a história de seu relacionamento bem próximo com um dos três).

Como era de se esperar, com seus 190 anos, Jonathan já apresenta alguns problemas de saúde. Ele é cego e não consegue mais sentir cheiros, por isso é alimentado, uma vez por dia, por veterinários. Seus alimentos favoritos são repolho, cenoura, pepino, maça, banana e outras frutas sazonais.

Jonathan completa 190 anos: ele não é só a tartaruga mais velha do mundo, mas o mais antigo e conhecido animal terrestre  vivo no planeta

Jonathan (à esquerda), entre 1882-86, nos jardins da Plantation House, em Santa Helena

Mas apesar da idade centenária, ele ainda tem uma ótima audição e está ativo sexualmente. “Jonathan ainda tem boa libido e é visto frequentemente acasalando com Emma e às vezes, Fred – os animais geralmente não são particularmente sensíveis ao gênero!”, conta seu cuidador, Joe Hollins.

Nos dias de muito sol, a tartaruga gigante se esconde na sombra. “Mas em dias amenos, ele toma sol – o pescoço comprido e as pernas esticadas totalmente para fora do casco para absorver o calor e transferi-lo para o centro do corpo”, diz o veterinário.

Ao completar seus 190 anos, Jonathan ultrapassa o recorde registrado antes pela tartaruga Tu’i Malila, morta em 1965.

Jonathan completa 190 anos: ele não é só a tartaruga mais velha do mundo, mas o mais antigo e conhecido animal terrestre  vivo no planeta

Ao lado de seu cuidador, Joe

Leia também:
Descoberta uma nova espécie de tartaruga na Amazônia, com características completamente diferentes das demais já conhecidas
Julius Caesar, a tartaruga que se perdeu na costa gelada da Irlanda em 2019, é levada, de avião, para as águas mornas da Espanha
Espécie nativa das Américas do Norte e Central, perigosa tartaruga-mordedora é encontrada no interior de São Paulo
Confirmado: tartaruga gigante encontrada em Galápagos é mesmo de espécie que acreditava-se extinta há 100 anos!

Fotos: reprodução Guiness World Records

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Jonathan completa 190 anos: ele não é só a tartaruga mais velha do mundo, mas o mais antigo e conhecido animal terrestre vivo no planeta

  • 29 de janeiro de 2022 em 9:43 AM
    Permalink

    “Devagar se vai ao longe”, né Mister Jonathan, e você é a prova disso, após humanos se terem matado em guerras fratricidas e bombas terem explodido pessoas, plantas e animais, você “apenas” envelheceu, com a sabedoria de “um passo de cada vez”, assim como cada um de nós deveria viver e se despedir em paz. Foi lindo conhecer você, cara.

    Resposta

Deixe uma resposta