Jane Goodall se une a campanha pelo plantio de um trilhão de árvores até 2030

Jane Goodall se une a campanha pelo plantio de um trilhão de árvores até 2030

Onde antes nosso planeta abrigava 6 trilhões de árvores, restam apenas 3 trilhões. E metade dessa perda ocorreu apenas nos últimos 100 anos. Sabemos todos que precisamos, com urgência, recuperar imensas áreas que foram devastadas. E agora, a primatóloga e antropóloga britânica Jane Goodall se une à campanha, lançada em 2020, para fazer com que mais e mais pessoas, governos e empresas ajudem a atingir a meta de plantio de 1 trilhão de árvores até 2030.

“As árvores são o presente de Deus para a humanidade. Árvores fornecem alimentos, água, abrigo, medicamentos. Elas criam o oxigênio que respiramos. Absorvem o dióxido de carbono, que ameaça o nosso clima. Mas árvores e florestas inteiras correm um grande risco. Poderosos interesses políticos e econômicos estão impulsionando sua destruição. Florestas são desmatadas para criar terra barata para a produção de carne, óleo de palma, soja e papel. Empresas priorizam seus lucros sobre a proteção da natureza”, diz Jane em um vídeo gravado para o lançamento de sua iniciativa, a “Trees for Jane”.

Com seu carisma e o exemplo de uma vida inteira dedicada à conservação da vida selvagem, Jane Goodall clama pela ajuda de todos. Através do portal “Trees for Jane”, é possível fazer doações para programas de reflorestamento e projetos de preservação em todo mundo (veja a lista completa de parceiros do projeto aqui).

“Proteger e restaurar nossas florestas deve se tornar uma das mais altas prioridades planetárias. Na verdade, as soluções climáticas naturais, incluindo a restauração e gestão de florestas, pastagens e pântanos, podem proporcionar até um terço das reduções de emissões necessárias até 2030. Queremos inspirar todos em todo o mundo a combater nossa crise climática, adicionando novos fundos e ímpeto aos esforços em andamento para parar o desmatamento e restaurar as florestas perdidas. Também queremos encorajar as pessoas a plantar e cultivar suas próprias árvores para ajudar nossa causa e valorizar melhor a fragilidade da natureza”, escreveram Jane e Jeff Horowitz, co-fundador da iniciativa, em um editorial na revista Time.

O lançamento de “Trees for Jane” foi feito durante a “Climate Week NY”, a “Semana do Clima”, um evento paralelo à realização da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, que ocorreu nos últimos dias em Nova York.

As doações para o projeto liderado por Jane Goodall podem ser feitas em qualquer moeda, inclusive, em real. Basta você acessar o site e indicar o país “Brasil”. Aparecerá então a opção de valores, que começa em R$ 100. Após sua ajuda, você receberá um certificado digital assinado pela primatóloga.

E se você não consegue apoiar essa linda campanha com dinheiro, não tem problema, mesmo assim pode participar! Você pode registrar quantas e quais árvores plantou no seu jardim aqui. No formulário você colocará a data do plantio, o número de árvores e as espécies, seu nome completo, lugar onde mora e fotos.

Então, vamos lá? Hora de colocar a mão na terra e fazer parte da campanha pelo plantio de 1 trilhão de árvores para o nosso planeta!

Leia também:
Jane Goodall recebe o Templeton Prize, prêmio internacional por trabalho que alia ciência e espiritualidade

“A Covid-19 e a crise climática são terríveis manifestações da falta de compreensão e respeito pelo mundo natural”, diz Jane Goodall
“Precisamos ter mais compaixão e respeito pelos animais e por seus habitats para criar um futuro melhor”, alerta Jane Goodall
Animação de poema infantil sobre um novo olhar para a natureza pós-pandemia ganha a narração de Jane Goodall

Foto: divulgação “Trees for Jane”/GANT/Morten Bjarnhof

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta