Islândia anuncia fim à caça de baleias a partir de 2024

Islândia anuncia fim à caça de baleias a partir de 2024

Islândia, Noruega e Japão são os únicos países do mundo que ainda permitem a caça comercial de baleias, mesmo sob fortes críticas e pressão de entidades internacionais de proteção animal, inclusive, a International Whaling Commission (IWC, na sigla em inglês). Mas há poucos dias, o governo islandês anunciou que encerrará essa atividade a partir de 2024. O motivo para a decisão não é a conservação desses que são os maiores animais dos oceanos, mas a queda na demanda pela carne da baleia.

“O Japão tem sido o maior comprador de carne de baleia [islandesa], mas seu consumo está diminuindo ano a ano. Por que a Islândia deveria correr o risco de continuar pescando, sem benefícios econômicos?”, disse a ministra da Agricultura e da Pesca, Svandís Svavarsdóttir, a jornais locais.

Em 2019, a Islândia tinha estabelecido uma “cota” de caça de 209 baleias fin e 217 baleias mink por ano. Apesar de serem apenas estas espécies permitidas, há pouco mais de três anos pescadores islandeses foram flagrados com uma baleia azul morta. A Balaenoptera musculus é o maior animal do planeta. Pode pesar até 200 toneladas e ter mais de 30 metros de comprimento. Considerada ameaçada de extinção, estima-se que restem entre 10 mil a 25 mil indivíduos em nossos oceanos.

Enquanto o governo islandês toma uma decisão sensata, mesmo que seja por motivos econômicos, Noruega e Japão ainda não parecem querer seguir o mesmo caminho. Em 2018, o governo japonês informou que no ano seguinte voltaria a liberar a caça comercial de baleias. Há 30 anos o país tinha se comprometido com o resto do mundo a deixar de lado a atividade.

Na época, o porta-voz do governo do Japão declarou ainda que a nação deixaria de fazer parte da IWC. Em 1986, a entidade impôs uma moratória global à caça comercial das baleias. No século passado, quase 3 milhões delas foram mortas. Por esta razão, a maioria das espécies deste cetáceo estava em risco de extinção – umas mais do que outras -, mas todas estavam ameaçadas de desaparecer dos oceanos do planeta.

Todavia, o Japão alega que já houve tempo suficiente para a população de baleias se reestabelecer e aumentar o número de indivíduos. Tanto que durante um encontro há alguns anos, em Florianópolis, os japoneses tentaram reverter a moratória, mas a proposta foi rejeitada pela maioria dos membros da comissão.

*Com informação do site da Al Jazeera e da CNN Internacional

Leia também:
Mar de sangue em matança (legal) de baleias nas Ilhas Faroe
Japoneses matam mais de 300 baleias para “pesquisas científicas”
Brasil aprova “Declaração de Florianópolis” que garante proteção das baleias

Foto: Dmitry Osipenko on Unsplash

Um comentário em “Islândia anuncia fim à caça de baleias a partir de 2024

  • 7 de fevereiro de 2022 em 3:38 PM
    Permalink

    Não por compaixão, mas pela queda da demanda pela carne de baleia. Não por racionalidade ou empatia, mas por motivos econômicos. Donde se conclui que a espécie humana continua a mesma: predatória, irracional, criminosa, egocêntrica, destrutiva e vil.

    Resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.