Incêndios na costa oeste dos Estados Unidos deixam cidades com a pior qualidade de ar do mundo

Incêndios na costa oeste dos Estados Unidos deixam cidades com a pior qualidade de ar do mundo

Mumbai? Pequim? Não. Atualmente as cidades com a pior qualidade do ar no mundo estão todas localizadas na costa oeste dos Estados Unidos, devido aos incêndios florestais que estão devastando a região. Os estados de Oregon, Washington e Califórnia são os mais afetados. Atualmente há 100 grandes focos de incêndio. Desde o começo de setembro, 24 pessoas já morreram, mas há dezenas de desaparecidos.

De acordo com a plataforma IQAir, que monitora a qualidade do ar em cidades ao redor do planeta, Portland, Seattle e Vancouver (no Canadá, bem na fronteira com os Estados Unidos) estão no topo da lista. Portland, uma das maiores cidades do Oregon, está com um índice apontado como “muito insalubre”.

Incêndios na costa oeste dos Estados Unidos deixam cidades com a pior qualidade de ar do mundo

O índice da qualidade do ar varia entre 0 e 500.
Em Portland ele chegou a 229 no domingo

Incêndios podem colocar mais pressão sobre sistema de saúde

Há poucos dias, os moradores de São Francisco, na Califórnia, ficaram chocados ao acordar e se deparar com o céu alaranjado, tomado pela fumaça e as cinzas provenientes dos incêndios florestais. “O céu está diferente de tudo o que jamais vimos”, disse a prefeita da cidade.

Em toda costa oeste, milhares de pessoas foram obrigadas a deixar suas casas para abandonar áreas que podem ser atingidas pelo fogo. Em meio à pandemia do novo coronavírus, que já contaminou mais de 6,5 milhões de americanos e matou quase de 195 mil naquele país, os incêndios dificultam ainda mais os cuidados necessários para se manter o distanciamento social nessas comunidades impactadas pelas chamas.

Alguns estudos científicos alertam que ao inalar a fumaças dos incêndios, os moradores dessas regiões podem ter mais complicações cardio-respiratórias e com isso, ocorrerá um aumento no número de casos de internações nos hospitais a longo prazo, sobretudo, com a chegada do inverno nos próximos meses, e da temporada da gripe.

A recomendação das autoridades é para que as pessoas fiquem em casa e caso precisem sair, usem máscaras.

Meteorologistas afirmaram que o clima deve melhorar nesta semana, com a possível chegada de chuva e de umidade vinda do Oceano Pacífico.

Estados Unidos teve um dos mais quentes verões de sua história

Uma das principais vozes nos Estados Unidos pelo combate às mudanças climáticas, o governador do estado, Gavis Newsom, declarou ontem. “Essas cenas clamam por mudanças. A Califórnia investiu mais na prevenção de incêndios florestais do que em qualquer outro momento da nossa história. Promulgou políticas climáticas ousadas. Mas não é o suficiente. Devemos fazer mais. Precisamos de ação em TODOS os níveis. A Califórnia não pode fazer isso sozinha. A mudança climática é REAL”.

Todavia, o presidente americano não acredita no aquecimento global e durante seu mandato nos últimos quatro anos derrubou políticas públicas aprovadas por seu antecessor, Barack Obama, para tentar conter o aumento da temperatura global. Além disso, Donald Trump tirou os Estados do Acordo de Paris, compromisso assinado por quase 200 nações, em 2015, para redução das emissões de carbono na atmosfera.

Incêndios na costa oeste dos Estados Unidos deixam cidades com a pior qualidade de ar do mundo

Bombeiro tentando controlar incêndio na
Floresta Nacional Sierra, na Califórnia

De acordo com o mais recente relatório divulgado pela Agência Nacional de Oceano e Atmosfera (NOAA), “agosto de 2020 será lembrado por seu calor extremo e clima violento: os Estados Unidos enfrentaram ondas de calor, furacões e incêndios florestais violentos no oeste”.

A temperatura registrada no mês passado ficou 2,6oC acima da média histórica. Em Death Valley, na Califórnia, os termômetros marcaram 54oC no último dia 16 de agosto.

Por outro lado, houve menos chuva. Agosto deste ano foi o terceiro mês mais seco nos últimos 126 anos naquele país.

Incêndios na costa oeste dos Estados Unidos deixam cidades com a pior qualidade de ar do mundo

Cenário de devastação no Oregon

Leia também:
“Se você não acredita em mudança climática, venha para a Califórnia”, diz governador do estado sobre incêndios devastadores
Julho de 2020 foi o segundo julho mais quente da história do planeta
Desastres climáticos estão entre cinco maiores preocupações para a próxima década em relatório do Fórum Econômico Mundial

Fotos: Pacific Southwest Forest Service, USDA/Fotos Públicas, Oregon Department of Transportation/Fotos Públicas

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta