‘I Take Responsability’: em campanha, artistas brancos assumem responsabilidade pelo racismo e se comprometem a apoiar os negros

A morte cruel de George Floyd detonou um movimento mundial que não tem mais volta. Foi a gota d’água para iniciarmos a luta contra o racismo e assumirmos uma posição antirracista diante de tantas atrocidades e violência. Por isso, as campanhas e mobilizações não param. Ontem, 11/6, a organização não-governamental americana NAACP – National Association for the Advancement of Colored People, que defende os direitos das pessoas negras, lançou a campanha I Take Responsability (Eu Assumo a Responsabilidade), com o apoio de artistas, para incentivar pessoas brancas a expor o racismo sistêmico e a se comprometer a apoiar os negros.

Um vídeo de dois minutos com gravações em preto e branco – que parecem caseiras como pede a pandemia -, tomou conta das redes sociais. Nele, Julianne Moore, Kristen Bell, Sarah Paulson, Aaron Paul, Aly Raisman, Bethany Joy Lenz, Bryce Dallas Howard, Debra Messing, Ilana Glazer, Justin Theroux, Kesha, Mark Duplass, Piper Perabo e Stanley Tucci – todos brancos – assumem a responsabilidade por terem ajudado a perpetuar o racismo por meio do silêncio ou da inação, e se comprometem a apoiar e contribuir para transformar esse cenário, lutando pelos direitos das comunidades oprimidas e contra a violência policial.

Ao entrar no site, você indica – a partir de algumas opções – o que fez (ou não fez) que contribuiu para que o racismo tivesse continuidade e qual o seu compromisso para ajudar a acabar com ele, daqui por diante. Assim que preenche os dois espaços, pode entrar no site e é incentivado a prosseguir com o compromisso que acaba de assumir, como fazer doações para a ONG NAACP, o movimento Black Lives Matter e o Projeto de Fiança, criar seu próprio vídeo e disseminar a campanha nas redes sociais com a hashtag #ITakeResponsability.

A campanha usa como principal mote a frase conhecida da ativista Ângela Davis : “Não basta não ser racista, é preciso ser antirracista”.

O racismo é um problema das pessoas brancas

Para Adam Platzner, vice-presidente da produtora Confluential Content, que realizou o vídeo e que também é branco, “é fundamental que todos entendam e aceitem que o racismo é um problema das pessoas brancas, um problema para o qual precisamos olhar, coletivamente, para poder consertá-lo. Eu nunca tinha visto isso dessa maneira. Eventos recentes, neste país, nos mostraram que precisamos adotar uma abordagem diferente para ter impacto. Foi isso que me levou a criar esse esforço com a NAACP”.

E Platzner acrescenta: “Estamos em um setor com poder e capacidade para impulsionar mudanças, interna e externamente. Este vídeo é como podemos iniciar essa conversa para obter resultados, ao mesmo tempo em que defendemos nossos amigos e familiares negros. Cada um de nós precisa começar a assumir a responsabilidade por esse papel em nossas vidas diárias. Com tudo o que está acontecendo, não parecia certo ficar à margem”.

Agora, assista ao vídeo da campanha:

Montagem: Divulgação

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta