Holanda diminui velocidade máxima nas estradas para reduzir poluição e emissões de carbono

Holanda diminui velocidade máxima nas estradas para reduzir poluição e emissões de carbono

Quando começar 2020, os holandeses vão ter que colocar o pé no freio. O governo do país acaba de anunciar que a velocidade máxima permitida nas estradas, durante o dia, será reduzida dos atuais 130 km/h para 100 km/h, tornando-se a menor entre os países da União Europeia.

A medida faz parte de um plano para reduzir as emissões de carbono na atmosfera, aquelas responsáveis pelo aquecimento global, já que uma das principais fontes de gases de efeito estufa são os veículos movidos a combustíveis fósseis, como diesel e gasolina.

De acordo com um levantamento feito pela Agência Ambiental Europeia, a redução do limite de velocidade nas rodovias de 120 km/h para 110 km/h, por exemplo, uma diferença de apenas 10 km, poderia reduzir o consumo de combustível dos carros em até 18%.

Recentemente, a Holanda foi criticada por não estar se esforçando o suficiente para diminuir suas emissões, principalmente perante seus compromissos assinados no Acordo de Paris.

O tratado internacional foi assinado em dezembro de 2015, na capital francesa, por líderes mundiais e foi considerado o mais abrangente e ambicioso tratado sobre o clima. Na época, 196 nações se comprometeram a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa, e desta maneira, tentar limitar o aumento da temperatura da superfície da Terra em menos de 2°C acima dos níveis pré-industriais.

Há poucos meses, agricultores holandeses organizaram grandes protestos no país, bloqueando estradas com tratores, para reclamar que estavam sendo apontados como os maiores responsáveis pela Holanda não estar conseguindo cumprir sua meta.

Foi por isso também, que o governo decidiu atacar outros setores.

Amsterdam fazendo sua parte

A capital parece estar bem a frente do resto do país. Em maio deste ano, mostramos aqui que carros, motos, ônibus e barcos a diesel e gasolina serão banidos lá. Com o Clean Air Action Plan, a partir de 2030, Amsterdam pretende ser uma cidade livre de emissões no setor de transportes.

O plano será implementado em fases, mas as primeiras medidas já entram em vigor no ano que vem, quando veículos movidos a diesel, com mais de 15 anos, ficam banidos de trafegar pelo anel A10, que dá uma volta ao redor da capital.

Em 2022, ônibus públicos e particulares que emitem dióxido de carbono não poderão mais circular pelo centro. O mesmo se aplicará, em 2025, a barcos de passeio e similares nos canais.   

Devido ao tráfego intenso em cidades como Amsterdam, Maastricht e Rotterdam, a Holanda apresenta um dos piores índices de poluição do ar da Europa. A consequência disso é que a saúde da população é afetada por problemas respiratórios.

Com as novas medidas, a intenção é que os moradores da capital troquem seus veículos por elétricos ou aqueles movidos a hidrogênio

Leia também:
Todos os trens da Holanda já são movidos a energia eólica
Maior estacionamento de bicicletas do mundo é inaugurado na Holanda
Primeiros navios cargueiros elétricos do mundo começarão a operar na Bélgica e Holanda

*Com informações da CNN e Deutsch Welle

Foto: @CreativeNature/Holland Tourism

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta