Guia de bolso apresenta a beleza e a diversidade das aves do Cerrado

Guia de bolso apresenta a beleza e a diversidade das aves do Cerrado

No segundo semestre de 2014 realizamos a quarta etapa de nossas expedições aos biomas brasileiros. Foi a vez do Cerrado, com trilha sonora de Milton Nascimento, especialmente a música “Avá Canoeiro” que nos acompanhou até Aruanã. Partimos de Santa Catarina e fomos até o Parque Nacional das Emas, em Chapadão do Céu, Goiás.

E agora, acabamos de lançar o Guia das Aves do Cerrado para quem deseja aventurar-se pelas veredas tropicais e identificar um pouco da sua riquíssima avifauna, assim como nós.

Como temos feito nos guias das aves da Floresta Atlântica, Pantanal e Costeiras, utilizamos as informações e imagens dos posters atualizadas e revisadas. O tratamento das imagens e o formato também seguem o mesmo padrão dos outros guias, assim como os posters.

O guia apresenta 79 aves e inclui informações sobre família, nome científico e popular (em português e inglês) e tamanho

Chifre-de-ouro na savana

Guiados por nossa amiga Ana Rosa Santos Corazolla, da Ecorotas, tivemos o prazer de presenciar um balé/ritual desse raro beija-flor. Dois deles voavam ora em linha reta e de trás para frente, ora desenhavam o símbolo do infinito no mesmo plano do solo e nem se importavam com a nossa presença. Um espetáculo inesquecível!

Guia de bolso apresenta a beleza e a diversidade das aves do Cerrado

O bater de asas do esplendoroso chifre-de-ouro


Corazolla também nos guiou até o uirapuru-laranja e o peixe-frito-pavonino. Momentos mágicos, que nos deram prazer e muitos carrapatos.

Guia de bolso apresenta a beleza e a diversidade das aves do Cerrado

As cores vibrantes do uirapuru-laranja

O encontro com o meia-lua-do-Cerrado

Na despedida da Serra da Canastra fomos convidados a conhecer uma das obras do Zé Maria, nosso guia em São Roque. O Zé só avisava “quem sabe, poderão topar com o meia-lua”. Ave esplêndida, era uma das primeiras de nossa lista de desejos. Pois bem…

O sol pegava forte e nosso guia soltou o playback (gravação usada como base para atrair aves) num dos lados do vale, só pra testar. Caminhamos mais um tanto, mais playback e nada. Persistente, Zé Maria esperou um momento e, de quebra, nos ensinou um bocado sobre as plantas do local. E dá-lhe playback e… nada de passarinho.

O sol esquentando, os mosquitos atacando, ficamos sem água, tostados, mas na esperança de ver o bichinho. E aquele silêncio fuliginoso. Subimos, descemos, até que de repente uma resposta ao playback bem fraquinha vem do outro lado do vale, por onde já havíamos passado umas três vezes. Subimos e descemos mais uma vez, tocamos o playback e… Silêncio total.

Amarelos de sede e fome, Zé Maria dá o veredito: tá legal, tentamos o que deu, o bicho não vem, vambora… Cabisbaixos subimos o barranco novamente e quando estávamos passando pelo arame da cerca, eis que escutamos novamente aquele chamado fraquinho, vindo lá do fundo do vale. Ficamos absolutamente parados e adivinhe só quem aparece a um braço de distância da gente? Só pra dizer “Voltem, amigos!” Sim, ele! O meia-lua-do-cerrado! Rolos de filme foram feitos em closes estupendos e poses escandalosas.

A plumagem do meia-lua-do-Cerrado, em tons de ocre e preto

Uma expedição cheia de belas surpresas

Em busca das aves do Cerrado chegamos ao Parque Estadual Terra Ronca, no município de São Domingos, região nordeste de Goiás, que abriga um dos mais importantes conjuntos espeleológicos da América do Sul.

Caminhando no topo da caverna principal fomos abordados por um bando das raríssimas e ameaçadas tiriba-de-pfrimer. E dá-lhe foto no contra-luz!

Fotógrafos convidados

Somos gratos a todos que nos apoiaram nesta expedição que resultou no poster e agora neste Guia das Aves do Cerrado, a quem dedicamos nossos agradecimentos, em especial à Gislaine Disconzi e aos fotógrafos convidados: Aline Patrícia (petrim), Edson Endrigo (pato-mergulhão), Guilherme Freitas (lenheiro-da-serra-do-cipó e pedreiro-do-espinhaço), João Quental (beija-flor-de-orelha-violeta, fruxú-do-cerradão e mineirinho), Margi Moss (cardeal-do-araguaia) e Ricardo Mendes (cisqueiro-do-rio).

Compre o seu guia!

E se você, assim como nós, é apaixonado por aves e quer conhecer mais sobre as espécies do Cerrado, adquira já o seu guia. Ele pode ser usado também como ferramenta em aulas de educação ambiental nas escolas.

O Guia das Aves do Cerrado e todos os outros cinco já produzidos podem ser comprados na Loja do Passarinho.

Abaixo mais algumas imagens das aves que fazem parte do guia:

Capainha-azul

Pedreiro-do-espinhaço

Tapaculo-de-Brasília

Picapau-de-topete-vermelho

Leia também:
Pra fotografar as anhumas na Amazônia, vale virar petisco de inseto
Frente-a-frente com o belíssimo cardeal-amarelo dos Pampas
Em busca dos raros e ameaçados flamingos no Lago Bonome, no extremo norte do Brasil
A magia da Caixa de Passarinho

Fotos: Guia das Aves do Cerrado

Gabriela Giovanka e Renato Rizzaro

Gabriela Giovanka é administradora de empresas, especializada em Naturologia Aplicada. Renato Rizzaro é designer gráfico e fotógrafo. Juntos criaram a Roda de Passarinho, e com suas viagens de norte a sul do país, buscam aproximar as pessoas da natureza, através de fotografias e do canto das aves, sementes, instrumentos musicais, relatos de vivências e exercícios que inspirem a vida comunitária.

Deixe uma resposta