Greta Thunberg leva centenas de jovens para protestar pelo clima em frente à Casa Branca

Greta Thunberg leva centenas de jovens para protestar pelo clima em frente à Casa Branca

*De Washington D.C.

O convite foi feito pelo Twitter. “Nesta sexta-feira, participarei da greve escolar pelo clima em Washington D.C. Vejo você na Casa Branca!” A mensagem foi postada há três dias dias por Greta Thunberg. Se você ainda é uma das pouquíssimas pessoas do planeta que não sabe quem ela é, vamos lá.

Greta é uma jovem ativista sueca. Em agosto de 2018, decidiu começar uma greve solitária em frente ao parlamento da Suécia, em Estocolmo, sempre às sextas-feiras. Seu protesto era pelo clima. Ela argumentava que seu país precisava fazer mais. O último verão tinha sido o mais quente por lá, com incêndios florestais e os termômetros alcançando temperaturas que não eram registradas há 262 anos.

Greta Thunberg leva centenas de jovens para protestar pelo clima em frente à Casa Branca

A mensagem de Greta no Twitter sobre o protesto na Casa Branca

Desde o ano passado, Greta já inspirou milhões de jovens do mundo inteiro a irem para as ruas e cobrar mais ações de seus governos para combater as mudanças climáticas, em um movimento batizado de #FridaysForFuture.

Neste último ano, a adolescente de 16 anos já foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz, apareceu na capa da revista Time, foi eleita “Mulher do Ano” pelo jornal sueco Expressen e Embaixadora da Consciência da Anistia Internacional.

Por esta razão, apesar do chamado discreto pelo Twitter, centenas de jovens se juntaram a ela próximo à Casa Branca, na capital americana. E como eu poderia perder esta chance? Já escrevi diversas matérias sobre Greta e queria ver de perto o poder inspirador dessa jovem.

Greta: o ativismo que inspira

Logo na chegada, o que mais me surpreendeu foi notar a presença de um batalhão de jornalistas estrangeiros. Profissionais dos mais diversos países também estavam ali para registrar a passagem da jovem ativista por Washington D.C.

É impressionante parar para pensar que uma menina de apenas 16 anos conseguiu engajar – e conquistar a admiração -, de tantos jovens ao redor do mundo, com um discurso muito direto: “Se os políticos tivessem feito sua lição de casa, saberiam que não temos outra escolha. Precisamos focar nas mudanças climáticas. Porque se falharmos em combatê-la, todas nossas conquistas e progressos não valerão nada. E o que restará de legado de nossos líderes políticos será o maior fracasso da humanidade ”, disse ela no ano passado.

Durante a manifestação hoje, em Washington, estavam presentes jovens das mais diversas faixas etárias – desde alguns com pouco mais de 5 anos até os mais velhos, perto dos 20, que davam voz aos protestos.

Greta Thunberg leva centenas de jovens para protestar pelo clima em frente à Casa Branca

Segurando cartazes com dizeres como “Parem de queimar nosso futuro”, “Não há um planeta B”, “Ações pelo clima AGORA” e “Salve a Amazônia”, os manifestantes cantavam juntos palavras de ordem, entre elas, “Chega de petróleo e carvão, mantenham esse lixo no chão” e “Nossa casa está em chamas”, uma clara referência aos incêndios florestais do Brasil.

Greta Thunberg leva centenas de jovens para protestar pelo clima em frente à Casa Branca

Aqui preciso fazer uma pausa. Tenho dois filhos – um de 12 e outro de 15 anos –, e já escrevo há anos sobre sustentabilidade, meio ambiente e aquecimento global. Para mim, o jornalismo ambiental é mais do uma profissão, é uma causa que também defendo.

Por todo o conhecimento que adquiri sobre a situação atual do planeta, tenho receio de que tipo de futuro meus filhos irão enfrentar. A Terra está dando sinais de alerta há décadas. Os recursos naturais estão sendo esgotados. Há uma extinção em massa de plantas e animais ocorrendo diante dos olhos da humanidade e muito pouco, ou praticamente nada, tem sido feito para evitar esse cenário devastador de destruição.

Por isso, hoje, quando ouvi centenas de jovens gritando para que algo seja feito, me emocionei. Fiquei com um nó na garganta, com os olhos marejados. Uma das frases mais marcantes que ouvi foi durante o discurso de uma jovem, de pouco mais de 15 anos. “Como podemos aceitar nossa morte? Queremos sobreviver!”.

Greve Global pelo Clima em 20 de setembro

Greta Thunberg participou o tempo todo da manifestação, lado a lado dos jovens. Muitas vezes é difícil vê-la. A adolescente tímida não deve ter mais do que 1,60 m de altura. Mas quando pega o microfone, sua voz calma e baixa, cala a todos. A ativista mostrou ao mundo que os jovens não vão ficar parados diante do que está acontecendo. “As pessoas não têm que ouvir o que estamos dizendo, mas precisam ouvir a Ciência”, alerta.

Greta falou rapidamente e convocou todos para participar
da greve global na semana que vem

Na semana que vem, a ativista sueca participará de uma sessão no congresso americano e se juntará a um grupo de crianças e jovens que estão processando o governo dos Estados Unidos por causa das mudanças climáticas

Já na sexta-feira, dia 20 de setembro, Greta estará à frente da Greve Global pelo Clima. Milhares de estudantes em mais de 150 países já confirmaram presença na manifestação. Em Nova York, onde devem acontecer uma grande marcha, a prefeitura divulgou que os alunos da rede pública terão suas faltas abonadas para participar. A marca de cosméticos Lush também anunciou que fechará suas fábricas e lojas para se juntar aos protestos.

Greta estará em Nova York, junto aos estudantes, e depois discursará no Encontro sobre o Clima das Nações Unidas. Não há dúvida nenhuma que a adolescente também arrebatará uma onda de jovens para as ruas daquela cidade, pois por onde passa, conquista mais e mais seguidores.

Abaixo, mais fotos da manifestação de hoje:

Greta chega escoltada por um agente da SWAT americana

Fotógrafos e cinegrafistas se aglomeram para fazer imagens da jovem ativista

“Obrigado, Greta”, diz um dos cartazes trazidos para a manifestação

A jovem ativista, segurando seu cartaz

Fotos: arquivo pessoal, reprodução Twitter e Facebook Greta Thunberg e vídeo The Washington Post

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta