Graças ao esforço de voluntários durante seis horas, orca encalhada em maré baixa consegue voltar ao mar

Graças ao esforço de voluntários durante seis horas, orca encalhada em maré baixa consegue voltar ao mar

O trabalho conjunto de velejadores, moradores locais e especialistas da Agência Nacional de Oceano e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA, na sigla em inglês) conseguiram salvar uma baleia orca que ficou encalhada, durante aproximadamente seis horas, na ilha de Príncipe de Gales, no Alaska. Pesquisadores que estavam num barco da agência americana foram os primeiros a encontrar o animal, preso entre as rochas.

Logo outros voluntários chegaram ao local para poder manter a orca molhada e aves afastadas até que maré voltasse a subir e ela conseguisse retornar ao mar.

Não se sabe como a baleia ficou encalhada, se ela teria ido atrás de focas ou leões marinhos para se alimentar. Durante todo o tempo em que o animal ficou ali, várias outras orcas foram observadas nas imediações.

Graças ao esforço de voluntários durante seis horas, orca encalhada em maré baixa consegue voltar ao mar

Em alguns vídeos divulgados no Tik Tok por uma das pessoas envolvidas no resgate da orca, Aroon Melane, é possível ver os esforços dos voluntários.

@aroonmelane

 

The craziest experience! ##alaska ##orca ##killerwhale ##strandedwhale @heydaniejay

♬ original sound – aroonmelane

A organização de proteção animal canadense, Bay Cetology, que atua na região identificou a orca como um dos indivíduos que ela monitora. Ele é um macho, com cerca de 13 anos e seis metros de comprimento. 

Felizmente, quando a maré subiu, o animal conseguiu voltar ao mar e segundo os pesquisadores da NOAA, se juntou novamente a seu grupo.

Muito bacana ver que graças à boa vontade de tanta gente, a orca foi salva. 

“Muito agradecida por ter estado lá para ajudar e feliz por ela estar de volta, segura com seu grupo!”, escreveu Aroon em seu perfil no Tik Tok. 

@aroonmelane

 

More vids from the beached killer whale. So grateful to have been there to help and happy she’s back, safe with her pod! ##killerwhale ##orca ##alaska

♬ original sound – aroonmelane

Quem é a orca?

Entre os leigos, ela é mais conhecida como orca. Já para os cientistas, é a killer whale (baleia assassina, em inglês). A origem deste último nome é baseada na observação de cientistas, que notaram que o animal caça baleias.

Apesar de ser chamada de “baleia”, a orca (Orcinus orca) é um cetáceo, que pertence à família dos golfinhos – o maior deles, por isso mesmo, suas características físicas são bastante semelhantes com a de seus primos. Como outros cetáceos, elas podem ser identificadas individualmente pelos cientistas por causa de marcas naturais e diferenças no tamanho e formato das nadadeiras.

Os machos geralmente são maiores que as fêmeas. As orcas chegam a medir entre 5 a 9 metros de comprimento e podem pesar até 5.400 kg. Até hoje, o maior macho já achado media 9,8 metros e tinha mais de 9 kg.

*Com informações da CNN

Leia também:
Orca que comoveu o mundo há dois anos, ao passar duas semanas carregando filhote morto, procria novamente
Cientistas celebram imagem de filhote de orca ao lado da mãe
Estado americano vai investir US$ 1 bilhão em programa para salvar baleias orcas da extinção
Poluição química nos oceanos pode matar 50% da população das baleias orcas
Orca imita palavras em estudo sobre a comunicação dos animais

Fotos: Chance Strickland e equipe do M/V Steadfast/NOAA (aérea/abertura), reprodução vídeo (meio) e Thomas Lipke on Unsplash (última)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Graças ao esforço de voluntários durante seis horas, orca encalhada em maré baixa consegue voltar ao mar

  • 4 de agosto de 2021 em 10:22 AM
    Permalink

    Muito mais importante do que uma competição onde vencedores ficam felizes enquanto perdedores choram, é constatar que TODOS sorriem quando vencem a luta para salvar APENAS UM.

    Resposta

Deixe uma resposta