Governo francês dá 300 euros para jovens comprarem livros, discos e ingressos para eventos culturais

Governo da França dá 300 euros para jovens de 18 anos comprarem livros, discos e ingressos para eventos culturais

Em maio, o Ministério da Cultura da França lançou o programa, Le Pass Culture. Através de um aplicativo que pode ser baixado no celular, jovens que tenham 18 anos, cidadãos franceses que morem no país ou no exterior, recebem gratuitamente 300 euros, quase 1.900 reais, para serem gastos com a compra de livros, DVD’s, CD’s, ingressos de teatro, cinema, show e concertos de música, além de cursos de música ou instrumentos.

Até este momento, quase 670 mil jovens franceses já fizeram uso do app. O dinheiro fica disponível por 24 meses.

O objetivo da iniciativa, obviamente, é facilitar o acesso a bens culturais para pessoas dessa faixa etária e estimular que elas experimentem e descubram novas formas de arte.

“O passe fornece a esses jovens adultos na França uma maneira de pesquisar as ofertas culturais próximas – o aplicativo tem um recurso de geolocalização – e os encoraja a satisfazer suas paixões culturais”, diz Noël Corbin, ministro da Cultura.

O aplicativo disponibiliza um sem número de sugestões. Inclui, por exemplo, listas de recomendações com curadoria de membros da equipe do aplicativo e de artistas e celebridades populares, bem como acesso VIP a eventos, como estar nos bastidores do festival de teatro de Avignon. As compras podem ser feitas online ou fisicamente,

Três meses após o lançamento do Le Pass Culture, descobriu-se que os livros somam 75% de todas as compras. E 2/3 deles eram mangás, as famosas histórias em quadrinhos de origem japonesa, e que já eram um sucesso entre os franceses.

A iniciativa, que fazia parte das promessas de campanha do presidente Emmanuel Macron, custará aos cofres públicos cerca de 80 milhões de euros em 2021, e estima-se que o dobro, no próximo ano. Críticos dizem que a intenção é eleitoreira, mas proprietários de estabelecimentos comerciais ligados à área cultural, que foram duramente impactados pela pandemia da covid-19 afirmam que já sentem, no caixa, os primeiros resultados.

*Com informações do The New York Times

Leia também:
Artista iraniana retrata a força, os desejos e a dor das mulheres afegãs em grafites pelas ruas de Cabul e do mundo
101 filmes de 40 países – sobre temas sociais e ambientais – serão exibidos na ’10a. Mostra Ecofalante de Cinema’, online e gratuita
Cartoon de Greta Thunberg como Chapeuzinho Vermelho, protegendo a Terra, vence prêmio internacional
Arte e natureza com Birgitte Tümmler

Imagem: divulgação campanha Le Pass Culture

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta