“Galo Gigante da Paz”, que reverencia povos originários e idosos, já está pronto para o Carnaval no Recife

"Galo gigante da Paz", que reverencia povos originários e idosos, já está pronto para o Carnaval no Recife

Ano a ano, o Galo da Madrugada surpreende e encanta os foliões que passam o Carnaval no Recife. São cerca de 1,5 milhão de pessoas que acompanham o seu desfile, que sempre acontece no sábado, na Ponte Duarte Coelho. A cada edição, a escultura com 28 metros de altura traz uma mensagem em sua alegoria.

Em 2024, o tema escolhido foi “O Galo Gigante da Paz”, que faz uma reverência aos povos originários e aos idosos. A ideia de Leopoldo Nóbrega, artista plástico que há cinco anos “veste” esse símbolo da festa pernambucana, é convidar os foliões a refletir sobre diversos tipos de violência e preconceito: “do racismo, ao etarismo passando pela violência de gênero e a exigência do respeito a todos, todas e todes, em busca de um mundo mais justo e menos bélico”.

“Este ano a escultura do Galo Gigante surgiu a partir de temas como gentileza, ancestralidade, sustentabilidade, inclusão e se torna um mensageiro divino da esperança de paz para o nosso tempo”, diz o artista. “A obra também homenageia seres iluminados que dedicaram sua existência pela paz no mundo, como Dom Hélder Câmara, Cacique Raoni, Madre Teresa de Calcutá e Martin Luther King, entre outros. Também marca os 79 anos da Organização das Nações Unidas (ONU) em sua missão de paz pelo mundo”.

Depois de meses de muito trabalho, na noite de ontem (07/02), o Galo pesando oito toneladas foi erguido sobre a ponte, com muita festa.

Este ano a cor que predomina na escultura é o branco e ela tem nas suas asas tatuado o símbolo do amor e da paz. Outros tons que foram escolhidos para decorá-lo são aqueles que representam os cinco continentes do planeta: amarelo (Ásia), preto (África), vermelho, (América), azul (Europa) e verde (Oceania).

Assim como nas edições anteriores, Nóbrega sempre tem um compromisso muito grande com a sustentabilidade. Em 2023, por exemplo, o Galo foi feito com toneladas de resíduos recicláveis e homenageava pretos e pardos.

"Galo gigante da Paz", que reverencia povos originários e idosos, já está pronto para o Carnaval no Recife

A tatuagem com o símbolo “paz e amor” em destaque na asa do Galo
(Foto: Anderson Maia / divulgação Instagram Galo da Madrugada)

Na versão atual mais de 90% do material utilizado é reciclado, como dois mil metros de lonas de materiais publicitários, além de 10 mil CDs e DVDs. As rendas que cobrem parte do corpo do Galo foram confeccionadas com conduítes descartados e as amarrações fios de garrafas PET.

Nos ombros o “Galo Gigante da Paz” tem um manto sagrado Tupinambá, referência à famosa alegoria indígena que terá um exemplar devolvido pelo Museu Nacional da Dinamarca ao Brasil depois de 300 anos.

Por último, para representar os idosos, assim como sua sabedoria perante a vida, a obra tem a crista grisalha. Cerca de 250 membros da Associação Nacional de Idosos (ANATI) participaram de oficinas e do trabalho para a produção da alegoria.

O Clube das Máscaras o Galo da Madrugada foi fundado em 1978. E em 1994, ganhou o título de Guinness World Records de o maior bloco de carnaval do mundo. 

*Com informações da assessoria de imprensa da Prefeitura do Recife

Foto de abertura: Anderson Maia / divulgação Instagram Galo da Madrugada

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.