Gaivota com máscara presa nas patas é resgatada na Inglaterra

Gaivota com máscara presa nas patas é resgatada na Inglaterra

Em meio à pandemia da COVID-19, que já matou mais de 600 mil pessoas no mundo inteiro, os animais começam a sofrer com os efeitos colaterais dessa crise global de saúde. Como várias organizações de proteção ambiental têm alertado, o descarte incorreto de máscaras de proteção está sendo percebido em diversos lugares. É o caso divulgado recentemente pelo South Essex Wildlife Hospital, na Inglaterra, que recebeu uma gaivota com as pernas presas no elástico de uma máscara.

Segundo os veterinários que trataram a ave, as patas e as articulações já estavam bastante inchadas. Depois de receber uma dose de anti-inflamatório, felizmente, a gaivota se recuperou.

A equipe do hospital veterinário britânico relatou que há um aumento de casos de animais ficando enroscados em máscaras e luvas, usadas pelos seres humanos para se proteger da transmissão do coronavírus.

Impacto ambiental

Em maio, ambientalistas da ONG OceansAsia denunciaram o impacto desse novo tipo de lixo nas Ilhas Soko, na costa sudoeste de Hong Kong.

Especialistas alertam que o descarte de equipamentos de proteção, como máscaras e outros resíduos hospitalares, precisa seguir orientações bem específicas, conforme mostramos nesta outra reportagem.

Nas unidades de saúde e hospitais, esses resíduos devem ser condicionados
em sacos vermelhos identificados pelo símbolo de substância infectante. Esses sacos possuem coleta e transporte especializados para Resíduos de Serviços de Saúde (RSS) e são submetidos a processos licenciados de tratamento, antes de sua disposição final.

Já no caso do uso de máscaras e luvas pela população, o descarte deve ser feito no lixo comum, nunca no reciclável.

Leia também:
Um dos efeitos colaterais da pandemia: o aumento da geração de lixo doméstico e hospitalar
Família salva filhote de urso com embalagem de plástico presa na cabeça

Foto: reprodução Facebook South Essex Wildlife Hospital

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Gaivota com máscara presa nas patas é resgatada na Inglaterra

  • 2 de agosto de 2020 em 11:23 AM
    Permalink

    Muito mais do que antes, o Meio Ambiente está sofrendo o resultado nefasto da pandemia e não se admira que isso aconteça, porque a corda arrebenta do lado mais fraco. Humanos estão descartando muito mais do que descartavam, luvas, materiais de proteção, embalagens plásticas de álcool e os recipientes de comida, porque delivery gera o descarte, geralmente incorreto do que se almoça, lancha e janta todos os dias. Fauna e flora são o ralo do esgoto humano para onde vai o resultado da omissão, da irresponsabilidade e da indiferença para com a natureza e as espécies que vivem nela. A pandemia apenas mudou para pior a situação dos animais, incluindo os domésticos “de estimação ” que passaram a ser descartados também, junto com as máscaras e o lixo de cada qual e de todos , como se a Terra já não houvesse pago todos os seus pecados, após chorar todas as suas lagrimas.

    Resposta

Deixe uma resposta