Fogo volta à Serra do Amolar, no Pantanal, e duas onças-pintadas são resgatadas com queimaduras nas patas

Fogo volta à Serra do Amolar, no Pantanal, e duas onças-pintadas são resgatas com queimaduras nas patas

Apesar de a situação no Pantanal ter melhorado nas últimas semanas, com a chegada da chuva e o controle dos incêndios, um novo foco de fogo surgiu na Serra do Amolar, ao norte do Mato Grosso do Sul, na divisa com o Mato Grosso. Um raio que caiu no Parque Nacional do Pantanal Matogrossense foi o responsável pelo início das chamas.

Os incêndios dos últimos meses na região Centro-Oeste do Brasil queimaram 3,461 milhões de hectares no Pantanal. Mais de 25% do bioma foi destruído. Milhares de animais morreram ou foram feridos pelo fogo.

Ontem (03/11), uma equipe do Instituto Homem-Pantaneiro, que ajudava no combate ao fogo na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Acurizal, na Serra do Amolar, encontrou duas onças-pintadas bastante debilitadas e com queimaduras nas patas.

A primeira delas estava escondida dentro de uma casa abandonada e logo depois, uma segunda foi avistada também no mesmo local.

Depois de mobilizar uma equipe de especialistas para ter certeza que era preciso fazer o resgate dos animais, uma força tarefa com mais de 20 pessoas, entre técnicos, veterinários, moradores da Serra do Amolar e colaboradores, conseguiu capturar as onças-pintadas.

Fogo volta à Serra do Amolar, no Pantanal, e duas onças-pintadas são resgatadas com queimaduras nas patas

As onças foram sedadas para poderem ser resgatadas

Os dois machos foram encaminhados com o apoio do Esquadrão Onça da Força Aérea do Brasil para serem tratados no Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS) de Campo Grande.

Fogo volta à Serra do Amolar, no Pantanal, e duas onças-pintadas são resgatadas com queimaduras nas patas

Um dos animais com as patas queimadas

“Nosso trabalho de preservar o Pantanal passa por momentos emocionantes como o que vivemos hoje: uma mistura de tristeza, pelo efeito do fogo, e euforia por poder salvar duas vidas de uma espécie tão imponente, mas tão ameaçada!”, escreveu o instituto em suas redes sociais.

Estamos torcendo aqui para a recuperação de mais essas duas onças-pintadas, novas vítimas da tragédia que se abate sobre o Pantanal. Esperamos que elas possam ter um tratamento bem-sucedido, igual ao de Ousado, outra onça que teve as patas queimadas e há poucas semanas voltou à natureza.

No vídeo abaixo, cenas do fogo na Serra do Amolar no domingo e um apelo do Instituto Homem Pantaneiro:

—————————————————————————————-

*As equipes que trabalham com o resgate de animais no Pantanal ainda precisam de muita ajuda. Veja como você pode contribuir com outros esforços nesta reportagem: Como ajudar o Pantanal

Leia também:
“O Pantanal sempre pediu socorro. Agora, gritamos tão alto que a solidariedade veio de todo o país”
“No período de seca extrema, não tem trégua”, diz biólogo do ‘SOS Pantanal’: fogo volta à Serra do Amolar e se alastra para o sul
Brigada Alto Pantanal: pesquisadores, empresários, artistas e organizações se unem para criar brigada permanente
“Parece que explodiu uma bomba e destruiu tudo. Nos deparamos com muitos animais mortos. Inúmeros, incontáveis!”, relata veterinário no Pantanal

Fotos: Instituto Homem Pantaneiro

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta