Foca-monge havaiana é encontrada com um tiro na cabeça e cientistas confirmam que ataque foi intencional

O crime aconteceu em setembro, mas somente esta semana a Agência Nacional de Oceano e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA) divulgou nota para esclarecer que uma jovem foca-monge havaiana foi intencionalmente morta com uma arma de fogo.

A espécie está ameaçada de extinção e não existe em nenhum outro lugar do planeta. Esta foi a terceira vez que uma foca foi morta na ilha rural de Molokai, na região de Kalaupapa, a noroeste de Mauí, este ano. E esta é a sétima, nos últimos dez anos.

Em abril, outros dois indivíduos foram mortos na mesma região, mas o laudo apontou “trauma contuso” devido ao avançado estado de decomposição dos corpos.

No comunicado, a NOAA declarou que “as mortes intencionais dessa espécie ameaçada de extinção são devastadores para a recuperação dessa população”. Ainda restam algumas centenas nas principais ilhas do Havaí e cerca de 1.100 indivíduos da espécie vivem em ilhas remotas e desabitadas à noroeste do arquipélago.

Durante entrevista coletiva em 21/12, os pesquisadores apontaram a concorrência que as focas-monge representam para os pescadores como um dos motivos para esse tipo de crime. Matar focas é considerado crime tanto em nível estadual como federal, e as penas podem chegar a cinco anos de prisão.

Todos os crimes estão sendo investigados, mas ainda não há qualquer indício de quem poderiam ser os autores de tamanha crueldade.

“Essas mortes intencionais são atos perversos e desprezíveis perpetrados contra um animal em extinção em seu próprio habitat natural”, declarou Jason Redulla, chefe da Divisão de Conservação e Fiscalização de Recursos do Havaí. “Os responsáveis ​​devem ser responsabilizados”.

Suzanne Case, presidente do Departamento de Terras e Recursos Naturais do Havaí, lembra que, no início deste ano, moradores ficaram indignados com a perseguição de focas-monge por visitantes e um deles chegou a colocar uma foca nas costas. “Então, espero resposta semelhante ao assassinato da foca que foi baleada na cabeça”.

Foto: Hawaii Marine Animal Response/Divulgação

Com informações de G1, NYT e NPR

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta