PUBLICIDADE

Filhote de rinoceronte, de espécie rara e em risco de extinção, é batizado de “Kiev”, em zoológico na República Checa

Filhote de rinoceronte, de espécie rara e em risco de extinção, é batizado de "Kiev", em zoológico na República Checa

Existem no planeta cinco espécies de rinoceronte, três na Ásia e duas na África subsaariana: de java, de sumatra, indiano, branco e negro. Este último, possui quatro subespécies, uma delas declarada extinta em 2011.

No passado, os negros eram os mais numerosos dentre todas as espécies. Na década de 70 ainda havia 65 mil deles vivendo livremente na África. No entanto, como resultado da caça descontrolada e especialmente da caça ilegal, seus números caíram para 2.300 indivíduos em 1993. Atualmente estima-se que sejam cerca de 800. Por isso, toda vez que um filhote nasce, mesmo que em cativeiro, é sempre motivo de celebração.

Foi o que aconteceu há poucos dias no Safari Park Dvůr Králové, na República Checa, após o nascimento de um filhote da subespécie Diceros bicornis michaeli, que é considerada criticamente ameaçada de extinção.

O “pequeno”, que veio ao mundo no último dia 4 de março, pesando 33 kg, foi batizado de Kiev, o nome da capital da Ucrânia, uma homenagem ao povo daquele país, que sofre com o horror da guerra provocada por Vladimir Putin.

Filhote de rinoceronte, de espécie rara e em risco de extinção, é batizado de "Kiev", em zoológico na República Checa

O filhote é um macho e a mãe se chama Eva. Os dois estão juntos e ele está sendo amamentado regularmente. Tem ganhado cerca de 1 kg por dia

“O pequeno rinoceronte está ficando cada vez mais forte e curioso, em breve poderá se juntar ao recinto ao ar livre com sua mãe, mas dependerá dos dois quando isso acontecerá”, diz o zoólogo Jiří Hrubý.

Só outros três filhotes de Diceros bicornis michaeli nasceram nos últimos anos em zoológicos do mundo. O Safari Park Dvůr Králové é considerado um dos mais importantes centros de reprodução em cativeiro. Já nasceram ali 47 filhotes. Nove deles foram reintroduzidos nas florestas de Ruanda e da Tanzânia, na África.

Herbívoros, esses animais podem chegar a pesar até 1.600 kg. Têm uma visão muito ruim, por isso possuem olfato e audição bastante apurados. Vivem, em média, 40 anos.

Leia também:
Após 5 anos e 30 cirurgias, rinoceronte que quase morreu depois de ter chifres retirados por caçadores volta à vida selvagem
Caçadores de rinocerontes passarão 25 anos na prisão, em condenação histórica na África do Sul
Trinta rinocerontes brancos do sul são levados da África do Sul para Ruanda, na maior operação já realizada para conservação da espécie
Foto vencedora do Wildlife Photographer of the Year mostra o extermínio de uma espécie
Nepal comemora aumento recorde da população de rinocerontes

Fotos: Dominika Stempa / Safari Park Dvůr Králové

Comentários
guest

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sandra
Sandra
2 anos atrás

Uma justa homenagem à Kiev, que a gente espera seja reconstruída e se torne bonita de novo, assim como este pequeno crescerá bonito e forte, em nome do Amor e da Paz.

Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE