Fera, uma das primeiras onças no mundo a serem reintroduzidas na vida selvagem, aparece com novo filhote

Fera, uma das primeiras onças no mundo a serem reintroduzidas na vida selvagem, aparece com novo filhote

Depois de tanta tragédia que se abateu sobre o Pantanal em 2020, o ano novo começa com algumas boas notícias. Uma delas foi o avistamento da Turi, filhote da segunda ninhada da onça-pintada Fera. A novidade foi divulgada pela equipe da Associação Onçafari.

As irmãs Fera e Isa foram as primeiras onças no mundo a serem reintroduzidas com sucesso na vida selvagem. Em 2015, quando tinham apenas dois meses, as duas perderam a mãe. Naquele ano, por causa do alto volume das águas no Pantanal, a fêmea levou seus dois filhotes para o alto de uma árvore, no quintal de uma casa, em meio a um povoado.

Uma equipe de resgate tentou tirar os animais do local, mas a mãe caiu no chão e morreu. Os filhotes, duas fêmeas, batizadas mais tarde de Isa e Fera, foram encaminhados para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

No ano seguinte, após passarem por um cuidadoso processo de adaptação à vida selvagem, feito pelo time do Onçafari, em conjunto com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), as fêmeas foram soltas.

A história comovente dessas dessas onças e do trabalho inédito de reintrodução da espécie foi contado em um documentário da rede inglesa BBC, que você pode assistir ao final desta reportagem.

Hoje Isa é mãe de Aurora e Aracy e Fera também deu à luz, em 2018, a um casal de gêmeos, Olympia e o macho Ferinha.

Turi, fazendo pose para a câmera

E agora é a vez de Turi, que significa “fogo” em tupi-guarani, se juntar ao grupo. Os biólogos do Onçafari acreditam que o filhote tenha seis meses.

“E nosso primeiro avistamento desse ano foi da Turi, filhote da segunda ninhada da Fera, que já está dando as caras! Ela sempre aparece acompanhada da mãe e é muito curiosa com os veículos. Turi representa a nossa esperança de tempos melhores para as onças-pintadas e o Pantanal”, contou Stephanie Simioni.

O filhote, flagrado entre as árvores

O Onçafari alia ecoturismo e educação ambiental à conservação e coleta de dados científicos, no Refúgio Ecológico Caiman, uma área de quase 53 mil hectares no Pantanal.

Abaixo, o documentários da BBC sobre a história de Isa e Fera:

Leia também:
Ao aliar ecoturismo e pesquisa científica, o Onçafari trabalha pela preservação do maior felino das Américas
Joujou, onça-pintada resgatada em um dos incêndios no Pantanal, volta à natureza
Amanaci, onça-pintada com patas queimadas por incêndios no Pantanal, recebe alta, mas não voltará à natureza
Quase um mês após voltar ao Pantanal, Ousado, onça-pintada com patas queimadas pelos incêndios, é flagrado caçando

Fotos: divulgação Onçafari

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Fera, uma das primeiras onças no mundo a serem reintroduzidas na vida selvagem, aparece com novo filhote

  • 30 de janeiro de 2021 em 5:56 PM
    Permalink

    Se nos tivéssemos esses mesmos projetos de reintrodução de seres humanos na sociedade seria fantástico é muito coerente!

    Resposta

Deixe uma resposta