Ex-companheiros de banda apoiam Neil Young e retiram músicas do Spotify em protesto contra podcast antivacina

Ex-companheiros de banda apoiam Neil Young e retiram músicas do Spotify em protesto contra podcast antivacina

Há cerca de duas semanas, o músico Neil Young criticou o Spotify por hospedar o podcast do ator e comediante Joe Rogan, conhecido militante antivacina e negacionista. E deu um ultimato do tipo ‘ou ele ou eu”, ameaçando retirar suas músicas da plataforma. No dia seguinte, Daniel Ek, CEO da empresa, alegou que ali havia espaço para todas as ideias e aceitou tirar o repertório de Young de seu catálogo.

Foi um choque, mas ele não ficou sozinho A cantora Joni Mitchell e o roqueiro Nils Lofgren apoiaram o amigo e aderiram ao boicote.

Dias depois, movida pela pressão dos investidores – que não gostaram nada da queda de suas ações (perdeu 2 bilhões de dólares em três dias) e receavam o cancelamento em massa de assinatura – a empresa anunciou a adoção de medidas de esclarecimento contra a desinformação sobre a covid-19. Demorou, né? Contamos aqui.

Agora, David Crosby, Stephen Stills e Graham Nash, antigos companheiros de grupo de Young, também anunciaram apoio ao músico e querem retirar suas composições da mesma plataforma.

Crosby, Stills, Nash and Young ou CSNY foi um supergrupo de folk rock, formado em 1968 pelos quatro, que se desfez 47 anos depois após uma briga acirrada. Agora, eles estão juntos, de novo, por uma boa causa.

Os três amigos pediram às suas gravadoras que removam os catálogos do CSNY e do CSN (grupo sem Young) do Spotify, como também seus trabalhos solo. 

“Desinformação perigosa”

“Há desinformação perigosa sendo veiculada no podcast de Joe Rogan, no Spotify”, declararam. “Embora sempre valorizemos pontos de vista diferentes, espalhar desinformação de forma consciente, durante esta pandemia global, tem consequências mortais”.

E finalizaram: “Até que uma ação real seja tomada para mostrar que a preocupação com a humanidade deve ser equilibrada com o comércio, não queremos nossa música — ou a que fizemos juntos — esteja na mesma plataforma”.

Por enquanto, apenas Nash deu início ao processo de retirada de suas composições do Spotify. Até agora, todos os álbuns do CSN e do CSNY estão disponíveis no Spotify, juntamente com os catálogos solo completos de Crosby e Stills. 

Também encontrei algumas músicas de Neil Young na plataforma de streaming. E aproveitei para me deleitar com algumas delas: Harvest Moon, Heart of Gold, The Needle and the Damage Done…

Quando cobrou uma posição dos administradores do Spotify, Young esceveu: “Apoio a liberdade de expressão. Nunca fui a favor da censura. Empresas privadas têm o direito de escolher com o que lucrar, assim como eu posso optar por não ter minha música suportando uma plataforma que espalha informações nocivas”.

Ah, se todos fossem iguais à vc…

Foto: Reprodução Twitter

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.