Estudante de 14 anos ganha prêmio de “Jovem Cientista do Ano” com descoberta que pode resultar em medicamento contra COVID

Jovem de 14 anos ganha prêmio de "Joven Cientista do Ano" ao descobrir processo que pode resultar em um medicamento contra a COVID-19

Anika Chebrolu é uma estudante de apenas 14 anos, mas já sonha muito alto. E tem todos os motivos do mundo para isso. Ela pretende ser uma professora e pesquisadora na área médica. E quando chegar lá, com certeza irá fazer a diferença o prêmio que acaba de receber. A jovem foi a grande vencedora do 3M Young Scientist Challenge com seu estudo sobre uma molécula que pode se ligar à proteína do vírus SARS-CoV-2, responsável pela COVID-19.

Através de simulações no computador, Anika conseguiu rastrear o processo das moléculas com o objetivo de bloquear a ação das proteínas do coronavírus. Desta maneira, o vírus não conseguiria infectar as células do corpo.

“Isolei um composto principal de um banco de dados com quase 698 milhões de moléculas”, revela a jovem.

Para o júri do desafio, a descoberta pode ajudar no desenvolvimento de uma possível droga para o tratamento da COVID-19.

O foco original do trabalho da estudante de uma escola de Ensino Médio da cidade de Frisco, no Texas, não era o coronavírus, mas outra pandemia, a gripe espanhola e o vírus da influenza (gripe). Todavia, sua orientadora recomendou que ela se concentrasse no coronavírus, que já matou mais de 1 milhão de pessoas no mundo inteiro.

“Desde criança sempre fui fascinada pelas pesquisas científicas. Decidi focar no coronavírus por causa da imensa gravidade da pandemia da COVID-19 e do impacto drástico que ela causou no mundo em tão pouco tempo”, contou Anika.

O prêmio do 3M Young Scientist Challenge é de 25 mil dólares, cerca de 140 mil reais.

“Anika tem uma mente questionadora e usou sua curiosidade para fazer perguntas sobre um tratamento para a COVID-19”, ressaltou Cindy Moss, jurada do 3M Young Scientist Challenge, à CNN. “Seu trabalho foi abrangente e examinou vários bancos de dados. Ela também desenvolveu uma compreensão do processo de inovação e é uma comunicadora fenomenal”.

“Eu só quero ajudar o mundo e fazer com que as crianças saibam que podem fazer tudo o que quiserem”, afirmou a estudante, em entrevista à rede americana CBS.

Leia também:
Jovem brasileira vence competição internacional de ciências com projeto que transforma cascas de macadâmia em curativos para peles queimadas
Brasileira ganha prêmio internacional ao criar sistema de dessalinização de água com grafeno
Estudante cria plástico biodegradável com escamas e peles de peixes que normalmente vão para o lixo
Menina de 11 anos ganha prêmio de “Jovem Cientista do Ano” ao criar sensor que detecta chumbo na água

Foto: divulgação 3M Young Scientist Challenge

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta