Especialistas tentam de tudo para salvar baleia beluga que foi parar no rio Sena, na França

Especialistas tentam de tudo para salvar baleia beluga que foi parar no rio Sena, na França

A beluga (Delphinapterus leucas), também chamada popularmente de baleia branca, é encontrada em altas latitudes, em torno do círculo polar Ártico, distribuindo-se desde a costa da Groenlândia até a região da Noruega. E como exatamente um animal dessa espécie foi parar no rio Sena, próximo a uma eclusa, entre as cidades de Paris e Rouen, ninguém sabe.

O fato é que a baleia foi avistada nas águas do Sena na última quarta-feira (03/08) e desde então vem sendo monitorada atentamente, de longe e com a ajuda de drones, por diversas organizações de proteção ambiental, entre elas, a Sea Shepherd France.

Especialistas afirmam que o animal está muito magro e tem se movido pouco nos últimos dias, o que aumenta a suspeita de que ele esteja com problemas de saúde.

Hoje, ambientalistas tentaram oferecer peixes à beluga. Infelizmente, ela não quis se alimentar. Normalmente, a espécie consome lulas, polvos, camarões e caranguejos, o que não é encontrado em rios.

Em pequenas embarcações, a equipe da Sea Shepherd também tentou guiar a baleia em direção à foz do rio, e consequentemente, a alto mar, mas sem sucesso.

“Estamos em uma corrida contra o relógio, claramente”, afirmou Lamya Essemlali, presidente da ONG. “Ela realmente está magérrima. Seus ossos estão salientes. Não sei se já é tarde demais”.

Especialistas tentam de tudo para salvar baleia beluga que foi parar no rio Sena, na França

Imagem aérea mostra um bote tentando se aproximar da beluga
para oferecer alimento

Biólogos afirmam que uma operação de transporte da beluga para o oceano seria arriscada demais e com pouquíssima chance de dar certo.

Especialistas tentam de tudo para salvar baleia beluga que foi parar no rio Sena, na França

Até agora tentativas de alimentar a baleia foram frustradas

Há poucos meses, em maio, outro caso de uma baleia no Sena, completamente fora de seu habitat natural, mobilizou os franceses. Na época, uma orca foi observada no rio, perto da Normandia. Tentou-se guiá-la de volta ao mar com estímulos sonoros, mas ela acabou morrendo. Uma necropsia mais tarde revelou que ela estava muito doente.

Leia também:
Após dez anos em aquário na China, baleias belugas são soltas nas águas de santuário na Islândia
Narval é adotado por família de belugas em exemplo inspirador da natureza

Fotos: Sea Shepherd France

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.