Espanha quer economia com 100% de energia renovável e fim a novos projetos com combustíveis fósseis

Espanha quer economia com 100% de energia renovável e fim a novos projetos com combustíveis fósseis

Após passar por uma crise de saúde sem precedentes – a Espanha foi um dos países europeus mais afetado pela pandemia do novo coronavírus, com 235 mil pessoas contaminadas e 26 mil mortes -, o governo daquele país começou a flexibilizar as medidas de distanciamento social e fazer a reabertura gradual da economia.

Mesmo sabendo que enfrentará uma dura recessão, assim como as demais nações do mundo, os espanhóis anunciaram um audacioso plano de crescimento sustentável, com investimento e estímulo em energias limpas.

O projeto de lei apresentado na semana passada por Teresa Ribera, vice-presidente da Espanha e ministra da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico, bane todos os novos projetos de extração de carvão, petróleo e gás, acaba com os subsídios aos combustíveis fósseis e estabelece a meta de gerar 100% de energia renovável, e assim, alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

“O objetivo é se tornar carbono zero o mais tardar em 2050, em coerência com os critérios científicos e as demandas dos cidadãos”, diz o documento.

O projeto estabelece ainda que todos os novos veículos na Espanha sejam não poluentes até 2040 e ampliem-se as zonas de “baixa emissão” nas cidades, estimulando entre os cidadãos as práticas de caminhada, ciclismo e o maior uso do transporte público.

“No momento em que temos que enfrentar o processo de recuperação contra a COVID-19, a transição energética se tornará uma força motriz determinante para gerar atividade econômica e emprego a curto prazo, e fazê-lo de maneira consistente com o que será necessário para o país a meio e longo prazo ”, afirmou Teresa em comunicado oficial.

O governo assegura que o projeto de lei poderá gerar mais de € 200 milhões em investimentos na próxima década e criar até 350 mil novos empregos a cada ano.

“Identificamos as metas e ferramentas, um planejamento robusto foi projetado, estamos confiantes de que a transição energética terá impactos positivos em nossa economia e bem-estar e sabemos que eles podem começar a se materializar imediatamente”, destacou a ministra. “Este projeto fornece, finalmente, uma estrutura institucional para a ação que a Ciência e as pessoas nos pedem, e chega em um momento em que é mais necessário do que nunca.”

Para entrar em ação, o projeto precisa agora ser aprovado pelo parlamento espanhol.

Atualmente, as energias renováveis representam 39% da produção de eletricidade na Espanha. A maior parte desse porcentual vem da geração eólica.

Outro país europeu também deu passo similar rumo a uma transição energética mais limpa e sustentável. No começo de maio, a Alemanha anunciou que dará prioridade a investimentos em negócios ‘verdes’ na economia pós-coronavírus.

A chanceler Angela Merkel revelou que os programas de estímulo econômico deverão focar em novas tecnologias e energias renováveis. A economia alemã deve encolher 5,4% em 2020, mas um pacote de estímulo de 4 trilhões de reais já foi confirmado.

*Com informações dos sites Estrategias de Inversion, Energías Renovables e Renew Economy

Leia também:
Google faz investimento bilionário em compra e financiamento de novos projetos de energia renovável
Brasil já tem telha solar com tecnologia 100% nacional
usina solar flutuante do Brasil

Foto: domínio público/pixabay

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta