Em vídeo, Greta faz duras críticas a metas “insuficientes e hipotéticas” anunciadas por líderes globais

Em vídeo, Greta faz duras críticas a metas "insuficientes e hipotéticas" anunciadas por líderes globais

Para marcar a celebração do Dia da Terra e também, a realização da Cúpula do Clima, promovida pelos Estados Unidos, a ativista sueca Greta Thunberg divulgou hoje um vídeo em suas redes sociais em que faz duras críticas a líderes globais sobre as metas apresentadas para a redução das emissões de gases de efeito estufa.

“Países apresentarão suas metas hipotéticas, chamadas de “ambiciosas”, como as de emissão zero de carbono até 2050, mas quando você compara essas metas insuficientes com os dados científicos, você percebe claramente que há uma lacuna. Há décadas faltando”, diz Greta no vídeo.

A ativista denuncia que essas metas deixam de fora emissões importantes, como aquelas geradas, por exemplo, com a compra de produtos importados, a avião internacional e o comércio marítimo. Ela lembra ainda que aspectos como emissões históricas de cada país também não estão sendo levados em conta.

“Podemos continuar mentindo para achar que essas metas são suficientes para o que se faz necessário. Mas enquanto podemos enganar os outros e a nós mesmos, não podemos enganar a natureza e a física. As emissões ainda existem, mesmo que optemos por contá-las ou não”, destacou.

Greta afirma que é preciso um maior compromisso global. E garante que não irá desistir de sua luta pelo clima e pelo planeta. “Continuaremos a exigir e lutar por um futuro mais seguro… Podem nos chamar de ingênuos porque acreditamos que uma mudança é possível. Mas não somos tão ingênuos em acreditar que mudanças serão feitas por companhias e governos que façam promessas vagas, distantes e hipotéticas sem pressão alguma da imprensa e da sociedade”.

A Cúpula do Clima acontece hoje e amanhã, virtualmente. Greta não está na lista dos que participarão.

A estudante, fundadora do movimento Fridays For Future, que luta contra a inação de governos para combater a crise climática e inspirou milhões de jovens do mundo inteiro a irem para as ruas protestarem em 2019, afirmou que não deve participar da Conferência das Nações Unidas sobre o Clima, que está marcada para acontecer em Glasgow, na Escócia, em novembro, caso a distribuição desigual das vacinas contra a Covid-19 continue e outros países não possam estar presentes no encontro por causa da pandemia.

Na semana passada, ela anunciou a doação de €100 mil de sua fundação para apoiar a compra de vacinas para países pobres através da iniciativa global COVAX.

Confira abaixo, o vídeo na íntegra (em inglês), divulgado hoje por Greta:

Leia também:
Biden anuncia meta de reduzir em 50% emissões dos Estados Unidos até 2030

A convite de Joe Biden, liderança indígena de Roraima participa da ‘Cúpula do Clima’
Apesar da pandemia, desmatamento desenfreado pode provocar alta de até 20% nas emissões do Brasil em 2020
1/3 das emissões de combustíveis fósseis do planeta foram feitas por 20 empresas. Uma delas é a Petrobras
Holanda diminui velocidade máxima nas estradas para reduzir poluição e emissões de carbono

Foto: reprodução Facebook Greta Thunberg

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta