Com sua prancha, surfista homenageia pessoas que já partiram com um último mergulho no mar

Em sua prancha, surfista homenageia pessoas que já partiram com um último mergulho no mar

Assim como milhões de outras pessoas, Dan Fisher sempre encontrou paz e tranquilidade nas águas do oceano. Na infância, adorava ir à praia e andar de bicicleta junto com o pai. E por isso, foi no mar que ele buscou forças quando se deparou com um dos maiores sofrimentos de sua vida: a perda do pai para um câncer de pâncreas. Poucos meses depois, ele teve um outro baque, a morte de outro companheiro, o cachorro Rudy.

No começo deste ano, Dan decidiu então homenagear aquele a quem considerava seu melhor amigo com um gesto simbólico. Surfista, ele escreveu o nome do pai, Karl Fischer, em sua prancha. A experiência foi tão especial que ele decidiu compartilhá-la em suas redes sociais* e se oferecer para ajudar outras pessoas, também em luto, que perderam amigos ou familiares como ele, e levar o nome desses desconhecidos em sua prancha para um último mergulho no mar.

“Se você ama o oceano, ou conhece alguém que ama o oceano, ou talvez tenha perdido alguém que simplesmente amava estar ao ar livre… Escreva nos comentários deste vídeo o nome e um pouco de sua história e eu vou colocar o nome dessas pessoas na minha prancha, assim como eu fiz com meu pai. E eu vou levá-las para o oceano para você”.

Logo os primeiros nomes, com breves histórias, começaram a surgir nos comentários de suas postagens. Surgia então o projeto “One Last Wave”: Uma Última Onda.

“Quando gravei o nome do meu pai na primeira prancha e o levei para o oceano, não tinha expectativas. No entanto, descobri que estando lá no mar, vendo seu nome brilhando ao sol enquanto as ondas o banhavam, eu estava conectado a ele. Corri e decidi gravar esse vídeo para o TikTok imaginando se talvez houvesse outras pessoas no mundo que estivessem sofrendo a perda de um ente querido e que pudessem encontrar cura em tê-los adicionados à minha prancha e levados a um lugar que eles amavam”, contou Dan em entrevista exclusiva ao Conexão Planeta.

Segundo o surfista de 42 anos, que nasceu no Canadá, mas há alguns anos vive na região de Newport, nos Estados Unidos, ele não tinha ideia de que o projeto iria tomar uma dimensão tão grande.

“Não podia imaginar que tanta gente estaria disposta a compartilhar histórias em detalhes tão profundos e sinceros comigo e com o resto do mundo. A vulnerabilidade e a coragem de fazê-lo criaram essa comunidade que tem apoiado tanto uns aos outros em todo o mundo. É uma coisa bonita, mas não algo que eu já esperava”, diz.

Os nomes gravados na prancha: um último mergulho no mar

Desde janeiro, Dan já recebeu pedidos dos mais diferentes lugares do mundo. Ele tem duas pranchas repletas de nomes de desconhecidos – e está indo para a terceira -: pessoas que foram embora e deixaram pra trás muitas saudades e lembranças. Como a brasileira Anireide Borin, que amava a praia e o mar, mas partiu depois de batalhar contra um câncer.

“Eu não consegui me despedir dela por causa da distância. Adoraria saber que ela será lembrada toda vez que você entrar no mar. Deus te abençoe”, escreveu numa mensagem para Dan a sobrinha de Anireide.

Mensagem enviada pela sobrinha da brasileira Anireide

Sobre cada nome, redigido com uma caneta prateada, o surfista aplica uma base acrílica transparente para que ele não seja apagado com o tempo. Em muitos casos, Dan também grava vídeos contando as histórias daqueles que se foram e mandando um recado para aqueles que fizeram o pedido. Muitos vem de pais, que perderam seus filhos ainda muito jovens, crianças, que não tiveram a chance de pisar na areia e conhecer o mar.

“Antes deste projeto, o surfe era muito sobre ter um momento de solidão para mim. Estar sozinho por aí, reconectando-me com a natureza, silenciando o mundo por alguns momentos e lavando toda a energia negativa. Isso mudou. Agora, sinto que estou cercado por muito amor. Eu olho para os nomes na prancha e lembro de suas histórias e sinto esse incrível vínculo e compromisso de honrar seus sonhos e as esperanças de suas famílias de voltar ao oceano. Tem sido uma experiência muito transformadora e inspiradora para mim”.

Dan deixa claro que não é preciso pagar nada para pedir que o nome de alguém querido seja colocado em suas pranchas. Mas caso as pessoas desejem fazer doações para o projeto, ele criou um crowdfunding para poder levar ainda mais nomes para um último mergulho no mar.

Em sua prancha, surfista homenageia pessoas que já partiram com um último mergulho no mar

Dan, com um de suas pranchas:
alívio e conforto para centenas de pessoas em luto

*Instagram @onelastwaveproject
Tiktok @onelastwave
Twitter @onelastwave

Fotos: arquivo pessoal/Dan Fisher

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Com sua prancha, surfista homenageia pessoas que já partiram com um último mergulho no mar

  • 15 de março de 2022 em 6:26 PM
    Permalink

    Existem muitas formas de homenagear pessoas queridas que partiram e essa que Dan encontrou, de conecta-las com a poderosa energia dos oceanos, realmente é linda.

    Resposta

Deixe uma resposta