PUBLICIDADE

Em encontro inesquecível, mergulhadora recebe um “abraço” de um polvo gigante do Pacífico

Em encontro inesquecível, mergulhadora recebe um "abraço" de um polvo gigante do Pacífico

O polvo gigante do Pacífico (Enteroctopus dofleini) é o maior dentre todas as espécies desses animais e o que vive por mais tempo. Encontrado nas águas frias do Oceano Pacífico Norte, ele pode atingir até 3 metros de comprimento e pesar mais de 20 kg. Imagine então não apenas encontrar uma dessas criaturas, face a face, no fundo do mar, mas também ser abraçada por ela?

Pois foi isso exatamente o que aconteceu com a professora e mergulhadora canadense Andrea Humphreys. Ela vive na região da província de Colúmbia Britânica e apesar do mar gelado constantemente explora o oceano, fazendo scuba diving e fotografando a vida marinha.

Em meados de outubro, ela recebeu um pedido especial de uma amiga, que sonhava em encontrar um polvo. Andrea sabia onde era possível achar alguns desses animais e então agendou um mergulho.

“Três minutos de mergulho e eu tropeço (bem nado) num polvo! ÉPICO! Eu chamo meus amigos e o outro mergulhador. Nós apreciamos essa beleza por mais de 40 minutos. Ele primeiro rastejou para um de meus amigos e por toda a sua máscara, e então, quando comecei a tirar fotos e vídeos à distância, ele veio para cima de mim e sobre a minha câmera e, eventualmente, para o meu corpo!”, contou ela numa postagem em seu perfil no Instagram.

Ela contou mais sobre o encontro inacreditável e inesquecível.

“Ele ficou sobre a minha câmera, meu corpo com seus tentáculos e ventosas e nos meus nos lábios (sim, acabei com um chupão de polvo!!). Você pode ouvir meus gritos de emoção e espanto! Um momento único na vida e me sinto tão abençoada que essa criatura incrível me deu a oportunidade de ter esse encontro”, escreveu Andrea, que compartilhou o vídeo também em seu canal no YouTube.

Há muito tempo a ciência demonstra como os polvos são animais extraordinários e apresentam um sistema nervoso bastante complexo. Tanto é que, em 2021, o governo do Reino Unido reconheceu que eles são seres sencientes, ou seja, são capazes de terem sentimentos, como dor, prazer, fome, sede ou alegria.

Outros estudos anteriores já tinham revelado, por exemplo, como os polvos apresentam duas fases de sono, de maneira muito similar aos seres humanos. E em uma delas, inclusive, eles mudam de cor.

O polvo gigante do Pacífico vive entre três e cinco anos. Em geral, as fêmeas se reproduzem no final de suas vidas, quando escolhe um macho para acasalar. Após o ato, ela pode armazenar o esperma do macho por vários meses antes de decidir fertilizar e colocar seus ovos.

As fêmeas então põem dezenas de milhares de ovos e os mantêm seguros em uma pequena toca. Ela ficará sentada sobre eles por seis a sete meses, nem mesmo saindo para comer. Depois que os ovos eclodem, ela morre.

*Com informações adicionais da Ocean Conservancy

Leia também:
Seis anos após sua descoberta, polvo albino – apelidado de Gaspar em alusão ao ‘fantasminha camarada’ – ainda é mistério para pesquisadores
Cientistas descobrem que os cérebros humano e dos polvos têm um mesmo tipo de gene
No fundo do mar dominado por lixo, polvos usam resíduos como tocas, uma interação que preocupa especialistas em vida marinha
Bióloga marinha tem encontro surpreendente com um raríssimo e colorido polvo-de-véu na Grande Barreira de Corais
Caranguejos, lagostas e polvos são reconhecidos como seres sencientes pelo governo britânico e não devem ser cozidos ou desmembrados vivos, alertam cientistas

Foto de abertura: reprodução vídeo Andrea Humphreys

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE