PUBLICIDADE

Em apenas dois anos, 380 novas espécies são descobertas numa das regiões com a maior biodiversidade do planeta

Em apenas dois anos, 380 novas espécies são descobertas em uma das regiões mais ameaçadas do mundo

Um lagarto que muda de cor, um morcego de polegar grosso, uma cobra venenosa com o nome de uma deusa mitológica chinesa e uma perereca com a pele que lembra um musgo são apenas algumas das 380 espécies de animais e plantas descritas em 2021 e 2022 na região ao longo da bacia do rio Mekong, no sudeste da Ásia.

Situada entre a Índia e a China, as duas nações mais populosas do mundo, a região engloba ainda países como Vietnã, Lao, Tailândia e Cambodia. Abrange alguns dos habitats com maior diversidade biológica do planeta.

Apesar de ser um dos mais importantes hotspots da biodiversidade global, essa vida exuberante e em grande parte, ainda desconhecida, está ameaçada. Um relatório produzido pela organização WWF Internacional alerta sobre a necessidade urgente de proteger esses ecossistemas, lares de milhares de espécies.

Se em apenas dois anos cientistas descreveram 290 novas plantas, 19 peixes, 24 anfíbios, 46 répteis e um mamífero, é possível imaginar o quanto ainda existe na região e precisa ser preservado.

Infelizmente, muitas das novas espécies já estão ameaçadas de extinção, devido à perda de habitat, desmatamento e ao tráfico de animais silvestres.

“Essas espécies notáveis podem ser novas para a ciência, mas sobreviveram e evoluíram na região do Grande Mekong por milhões de anos, lembrando a nós humanos que elas estavam lá muito tempo antes de nossa espécie se mudar para esta região”, ressalta K. Yoganand, representante do WWF-Grande Mekong. “Temos a obrigação de fazer tudo para impedir a sua extinção e proteger os seus habitats e ajudar na sua recuperação”.

“Embora a região do Mekong seja um hotspot global de biodiversidade, ela também está enfrentando uma vasta gama de ameaças”, completa Nilanga Jayasinghe, gerente de espécies asiáticas do WWF-EUA. “Devemos continuar a investir na proteção e conservação da natureza, para que estas magníficas espécies não desapareçam antes de sabermos da sua existência”.

Confira abaixo alguma das espécies descobertas entre 2021 e 2022:

Em apenas dois anos, 380 novas espécies são descobertas numa das regiões com a maior biodiversidade do planeta

Hebius terrakarenorum é uma espécie de cobra semi-aquática
(Foto: Ton Smits/Ton Smits (TontanTravel.com)

 Ansonia karen é uma espécie de sapo encontrada nas montanhas da Tailândia
(Foto: Parinya Pawangkhanan)

Em apenas dois anos, 380 novas espécies são descobertas numa das regiões com a maior biodiversidade do planeta

Nephoanthus nubigenus foi descrita como um novo gênero de planta
(Foto: Tian-Chuan Hsu)

Em apenas dois anos, 380 novas espécies são descobertas numa das regiões com a maior biodiversidade do planeta

A nova espécie de orquídea miniatura Dendrobium fuscifaucium
(Foto: Keooudone Souvannakhoummane)

Em apenas dois anos, 380 novas espécies são descobertas numa das regiões com a maior biodiversidade do planeta

Também foi descoberta uma nova espécie da flor rododendro: a Rhododendron tephropeploides
(Foto: Richard Baines)

Leia também:
Último boto do rio Mekong, no Camboja, morre com uma rede de pesca presa na cauda
Maior peixe de água doce do mundo, uma raia de 300 kg, é encontrada em rio do Camboja

Fotos: divulgação WWF

Comentários
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE