Cinco iniciativas globais pelo meio ambiente ganham £ 1 milhão cada, em prêmio criado pelo Príncipe William

Earthshot Prize: Cinco iniciativas globais para combater a crise climática ganham £ 1 milhão cada em prêmio criado pelo Príncipe William

No começo do ano passado, como noticiamos aqui no Conexão Planeta, o príncipe William, herdeiro do trono britânico e a Duquesa de Cambridge (título da monarquia dado à sua esposa, Kate Middleton) anunciaram o lançamento de uma premiação internacional para financiar projetos visionários para solucionar os maiores problemas ambientais da atualidade. O Earthshot Prize é uma iniciativa da Royal Foundation of the Duke and Duchess of Cambridge, que pertence ao casal. O foco das propostas deve ser em áreas como clima e energia, natureza e biodiversidade, oceanos, poluição do ar e água doce.

No último final de semana, em Londres, na cerimônia com muita pompa, mas bem coerente com o objetivo do prêmio, ou seja, vivermos num mundo mais sustentável, os cinco vencedores foram anunciados. Cada um dos projetos, selecionados entre 750 nomeações, ganhou £1 milhão, cerca de R$ 7,5 milhões. Além do financiamento, os premiados serão conectados ainda com uma rede de organizações e empresas do setor privado em todo o mundo, que ajudarão a dar escala a suas soluções.

O objetivo principal é que as ideias ganhem visibilidade e possam servir de modelo nos quatro cantos do planeta.

Confira abaixo os grandes vencedores deste ano em cada categoria:

– PROTEGER E RESTAURAR
Governo da Costa Rica – um programa lançado pelo Ministério do Meio Ambiente remunera os cidadãos que protegem florestas, plantam árvores e restauraram ecossistemas. Os resultados foram extraordinários. As florestas da Costa Rica dobraram de tamanho. A flora e a fauna prosperaram, o que levou a um boom do ecoturismo, contribuindo com US$ 4 bilhões para a economia. Agora a intenção é a expansão para áreas urbanas;

– LIMPAR NOSSO AR
Takachar (Índia) – tecnologia portátil, barata e de pequena escala que converte os resíduos da colheita em produtos biológicos vendáveis, como combustível e fertilizante. Uma máquina acoplada a tratores reduz as emissões de fumaça em até 98% (fumaça que até então era proveniente da queima de resíduos agrícolas), o que ajuda a melhorar a qualidade do ar, problema esse que atualmente reduz a expectativa de vida da população afetada em até cinco anos;

RESTAURAR OS OCEANOS
Coral Vita (Bahamas) – projeto que planta corais na terra para replantio nos oceanos e assim, dá nova vida a ecossistemas doentes. Esses corais crescem até 50 vezes mais rápido do que os cultivados pelos métodos tradicionais, com maior resiliência ao impacto das mudanças climáticas. Além de restaurar recifes, iniciativa envolve comunidades locais, funcionários públicos e empresas privadas para melhorar a educação, criar novas perspectivas de emprego e construir um modelo para injetar mais recursos na proteção ambiental;

CONSTRUÇÃO DE UM MUNDO SEM LIXO
Cidade de Milão – programa lançado em 2019 pela prefeitura da cidade italiana visa acabar com o desperdício de alimentos através da coleta em supermercados e restaurantes de empresas e destinação a organizações que entregam a quem mais precisa. Ao envolver órgãos públicos, bancos de alimentos, instituições de caridade, ONGs e companhias privadas, o projeto se mostrou um sucesso. Hoje a cidade tem três Centros de Resíduos de Alimentos, cada um recuperando cerca de 130 toneladas de alimentos por ano ou 350 kg por dia, o equivalente a cerca de 260 mil refeições;

– CONSERTE O NOSSO CLIMA
AEM Electrolyzer (Tailândia, Alemanha e Itália) – a tecnologia transforma eletricidade renovável em gás hidrogênio, livre de emissões. Desenvolvida de forma rápida e barata, ela já abastece carros e aviões, movimenta a indústria e aquece residências em projetos pilotos em várias partes do mundo.

Carpete verde: celebridades deram o tom da festa

O Earthshot Prize será uma premiação anual, pelos próximos dez anos. O objetivo é fornecer pelo menos 50 soluções, até 2030. No ano que vem, a cerimônia com o anúncio dos escolhidos será realizada nos Estados Unidos.

O nome da iniciativa Earthshot -, é inspirado na expressão “Moonshot”, usada pelo ex-presidente americano, John F. Kennedy, quando ele estabeleceu uma meta, em 1961, para que os astronautas daquele país pousassem na lua antes do final da década. E conseguiram. Em 1969.

A festa ontem (17/10), na capital inglesa, contou com a participação de diversas celebridades, mas apenas aquelas que moram em Londres para que não houvesse liberação de carbono com viagens aéreas. Recebidos por um carpete verde, personalidades com a atriz e ambientalista Emma Thompson e o jogador de futebol Dani Alves estiveram presentes (o brasileiro faz parte do conselho da iniciativa). A também atriz Emma Watson usou um vestido de noiva comprado em um brechó!

Earthshot Prize: Cinco iniciativas globais para combater a crise climática ganham £ 1 milhão cada em prêmio criado pelo Príncipe William

William e Kate, os idealizadores da premiação

Houve ainda apresentação da banda Coldplay, que anunciou na semana passada o início de uma turnê “ecofriendly”: a cada ingresso vendido, uma árvore será plantada e a plateia produzirá energia ao dançar.

A organização do Earthshot Prize também declarou que não foi usado nada de plástico durante a cerimônia. As indicações para a edição 2022 serão abertas em janeiro do ano que vem.

Earthshot Prize: Cinco iniciativas globais para combater a crise climática ganham £ 1 milhão cada em prêmio criado pelo Príncipe William

Emma Watson, lindíssima, com seu vestido de segunda mão

Leia também:
“Precisamos consertar este planeta, não tentar encontrar o próximo lugar para ir e viver”, diz Príncipe William sobre turismo espacial
Monarquia com atitude: Príncipe William na capa de revista gay

Fotos: divulgação Earthshot Prize

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta