Dia da Sobrecarga da Terra: recursos naturais do planeta para 2021 já se esgotaram!

Dia da Sobrecarga da Terra: recursos naturais do planeta para 2021 já se esgotaram!

Costumo dar este exemplo para explicar o que significa o chamado “Dia da Sobrecarga da Terra“: imagine se, no lugar do seu salário mensal, você recebesse um anual. E de repente, agora, no meio do ano, ele acabasse. Isso mesmo, saldo zero, sem nenhum centavo a mais para gastar e pagar suas contas. Que desespero, não?! E é exatamente isso o que aconteceu com a Terra no último dia 29 de julho. Ou seja, os seres humanos – NÓS! – já utilizamos nosso orçamento de recursos naturais para este ano. Usamos nestes últimos sete meses de 2021  – e com cinco ainda faltando para terminar o ano -, toda a água, energia, minerais e vegetais que o planeta tem capacidade para produzir e renovar no período de 365 dias. Estamos no vermelho!

Para continuarmos a manter nosso padrão de vida atual, precisaríamos de 1,7 planeta.  

Desde 1969, o Dia da Sobrecarga da Terra (Earth Overshoot Day, em inglês) é calculado ela organização internacional sem fins lucrativos Global Footprint Network (GFN) como forma de alertar governos e a população global sobre como estamos explorando os recursos naturais da Terra sem permitimos que eles tenham tempo hábil para se regenerar.

Em 2021, gastamos os recursos que a Terra é capaz de renovar três semanas mais cedo do que em 2020. Todavia, o ano passado foi atípico por causa da pandemia da covid-19, pois o o Dia da Sobrecarga da Terra foi foi só 22 de agosto. Com isso, a data simbólica aconteceu três semanas mais tarde do que no ano anterior. A redução de 9,3% na pegada ecológica foi resultado do encolhimento da economia mundial e consequentemente, da emissões de gases de efeito estufa, devido à necessidade de isolamento social e fechamento de lojas, indústrias e escolas para conter o avanço do novo coronavírus.

E se as notícias não são boas globalmente, muito menos no caso do Brasil. Atingimos o Dia da Sobrecarga da Terra dois dias antes do que o resto do planeta, mais especificamente, em 27 de julho. Em 2019, ele tinha caído em 31 de julho. Entre os principais vetores para que nosso país tivesse a data antecipada estão o aumento do desmatamento e da degradação da Amazônia.

“Os juros acumulados de décadas consumindo mais recursos naturais que o planeta consegue regenerar criaram um passivo socioambiental: temos uma dívida com as pessoas que foram vulnerabilizadas nesse processo histórico-econômico, em especial os povos originários e as populações negras, e com a natureza que foi destruída”, alerta Gabriela Yamaguchi, diretora de Sociedade Engajada do WWF-Brasil, uma das organizações parceiras do Global Footprint Network.

Ano a ano, o Dia da Sobrecarga da Terra acontece mais cedo. Em 2013, a data aconteceu em 20 de agosto, no ano seguinte, no dia 19. Já em 2016, ela pulou para 8 de agosto e em 2017, no dia 2. Agora já passamos para julho.

Há alguns países em situação ainda muito pior que o Brasil, infelizmente. É o caso do Catar ou Luxemburgo, que segundo os cálculos da organização internacional, usaram todos seus recursos já em fevereiro. Mesmo grandes potências, como Estados Unidos, Canadá ou França, tem uma performance lamentável (confira ranking abaixo).

Os mais “gastadores” da Terra em 2021

Catar9 de fevereiro de 2021
Luxemburgo 15 de fevereiro de 2021
Emirados Árabes Unidos7 de março de 2021
Bahrain9 de março de 2021
Trinidad e Tobago12 de março de 2021
Canadá14 de março de 2021
Mongólia14 de março de 2021
Estados Unidos14 de março 2021
Kuwait14 de março de 2021
Bermuda14 de março de 2021
Omã22 de março de 2021
Australia22 de março de 2021
Estônia23 de março de 2021
Dinamarqua26 de março de 2021
Aruba29 de março de 2021
Bélgica30 de março de 2021
Coreia5 de abril de 2021
Latvia6 de abril de 2021
Suécia6 de abril de 2021
Áustria7 de abril de 2021
Brunei Darussalam8 de abril de 2021
Cazaquistão8 de abril de 2021
Singapura10 de abril de 2021
Lituânia10 de abril de 2021
Ilhas Cayman10 de abril de 2021
Finlândia10 de abril de 2021
Noruega12 de abril de 2021
Arábia Saudita12 de abril de 2021
Malta13 de abril de 2021
Israel16 de abril de 2021
Rússia17 de abril de 2021
República Tcheca17 de abril de 2021
Turquemenistão22 de abril de 2021
Holanda27 de abril de 2021
Irlanda27 de abril de 2021
Eslovênia30 de abril de 2021
Polônia4 de maio de 2021
Alemanha5 de maio de 2021
Réunion5 de maio de 2021
Japão6 de maio de 2021
França7 de maio de 2021
Suíça11 de maio de 2021
Montserrat11 de maio de 2021
Eslováquia13 de maio de 2021
Itália13 de maio de 2021
Portugal13 de maio de 2021
Butão14 de maio de 2021
Nova Zelândia15 de maio de 2021
Martinique16 de maio de 2021
Chile17 de maio de 2021
Antigua e Barbuda17 de maio de 2021
Belarus17 de maio de 2021
Reino Unido19 de maio de 2021
Grécia22 de maio de 2021
Montenegro23 de maio de 2021
Guadalupe25 de maio de 2021
Espanha25 de maio de 2021
Malásia30 de maio de 2021
Ciprus31 de maio de 2021
Polinésia Francesa1o de junho de 2021
Barbados6 de junho 2021
Croácia6 de junho 2021
China7 de junho 2021
Hungria8 de junho 2021
Bulgária10 de junho 2021
Bahamas10 de junho 2021
Turquia16 de junho 2021
Bosnia e Herzegovina17 de junho 2021
Líbia18 de junho 2021
Ilhas Virgens Britânicas19 de junho 2021
Romênia21 de junho 2021
Líbano25 de junho 2021
Argentina26 de junho 2021
Tonga30 de junho 2021
Irã30 de junho 2021
África do Sul4 de julho de 2021
Paraguai8 de julho de 2021
Bolívia9 de julho de 2021
Guiana10 de julho de 2021
Mauritius10 de julho de 2021
Macedônia10 de julho de 2021
Brasil27 de julho de 2021
Fiji27 de julho de 2021
Suriname31 de julho de 2021
Granada31 de julho de 2021
Sérvia31 de julho de 2021
Botswana1 de agosto de 2021
Ucrânia8 de agosto de 2021
México11 de agosto de 2021
Tailândia15 de agosto de 2021
Costa Rica16 de agosto de 2021
Samoa20 de agosto de 2021
Santa Lucia22 de agosto de 2021
Guiana Francesa8 de setembro de 2021
Mauritania10 de setembro de 2021
Algeria11 de setembro de 2021
Dominica12 de setembro de 2021
Venezuela13 de setembro de 2021
Panamá14 de setembro de 2021
Djibouti16 de setembro de 2021
Vietnã18 de setembro de 2021
Georgia25 de setembro de 2021
Gabão26 de setembro de 2021
Tunisia28 de setembro de 2021
Peru29 de setembro de 2021
Namíbia5 de outubro de 2021
Albânia12 de outubro de 2021
Gana13 de outubro de 2021
Lao People’s Democratic Republic20 de outubro de 2021
Uzbequistão 20 de outubro de 2021
El Salvador21 de outubro de 2021
Azerbaijão23 de outubro de 2021
Jordânia30 de outubro de 2021
Colômbia2 de novembro de 2021
Eswatini6 de novembro de 2021
Moldávia9 de novembro de 2021
Nova Papua Guiné16 de novembro de 2021
Cuba17 de novembro de 2021
Jamaica19 de novembro de 2021
Iraque20 de novembro de 2021
Guinea Equatorial20 de novembro de 2021
Armênia21 de novembro de 2021
Guatemala24 de novembro de 2021
Egito24 de novembro de 2021
Marrocos26 de novembro de 2021
República Dominicana29 de novembro de 2021
Nicaragua2 de dezembro de 2021
Cabo Verde6 de dezembro de 2021
Equador7 de dezembro de 2021
Myanmar8 de dezembro de 2021
Guinea14 de dezembro de 2021
Chad16 de dezembro de 2021
Indonésia18 de dezembro de 2021
São Tomé e Príncipe27 de dezembro de 2021

*Com informações do WWF-Brasil

Imagens: JD Hancock/Creative Commons/Flickr e divulgação Global Network Footprint

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta