Dezenas de pinguins aparecem mortos no litoral de Santa Catarina

Dezenas de pinguins aparecem mortos na litoral de Santa Catarina

Setenta e um pinguins foram encontrados no último final de semana, no trecho entre as praias do Santinho e Moçambique, localizadas na capital Florianópolis, em Santa Catarina. Todos estavam mortos, com exceção de apenas um deles.

Segundo a organização R3 Animal*, que fez o resgate dos animais sem vida, as aves apresentavam marcas nas nadadeiras que sugerem interação com petrechos (equipamentos) de pesca. Um dos pinguins da praia do Santinho estava com um pedaço de rede preso ao corpo.

“Até agora, todos os pinguins que passaram por necropsia apontam como a causa provável de morte a asfixia/afogamento, com apteria em aletas (falha de penas nos membros torácicos), congestão generalizada e miopatia de captura, alterações fisiológicas desencadeadas no corpo por ficarem tentando se soltar por bastante tempo”, explica Janaína Lourenço, médica veterinária da R3 Animal. “É bem triste a morte deles, ficamos arrasados cada vez que um morre. É bem frustrante o indicativo de que eles sofreram ao morrer”, lamenta.

O único pinguim achado vivo foi encaminhado para reabilitação.

Dezenas de pinguins aparecem mortos na litoral de Santa Catarina

Pinguim com rede de pesca em volta do pescoço

De acordo com a organização, além da captura acidental por material de pesca, muitas vezes abandonado nos oceanos, os pinguins também sofrem com a poluição do lixo plástico.

Dezenas de pinguins aparecem mortos na litoral de Santa Catarina

O corte na nadadeira da ave

Nas últimas duas semanas, a R3 Animal já resgatou 147 aves nas praias da ilha de Santa Catarina. Todas elas eram pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus). Nessa época do ano, a espécie pode ser vista no litoral brasileiro, já que sai Patagônia, na Argentina, seguindo as correntes marítimas e os cardumes de peixes.

Infelizmente, muitos pinguins morrem no caminho e outros, quando chegam ao Brasil, estão exaustos e famintos. A maioria ainda é jovem, tem cerca de um ano de vida.

Equipe de resgate da R3 Animal tirando fotos dos animais
para tentar descobrir a causa das mortes

Em julho de 2018, outra mortandade como essa aconteceu ao norte de Florianópolis. Naquele ano, foram encontrados mais de 100 pinguins-de-Magalhães mortos.

Confira abaixo as recomendações da R3 Animal caso você se depare com algum pinguim na praia:

*O trabalho de resgate e reabilitação de animais marinhos que a R3 Animal realiza em Florianópolis faz parte do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), uma condicionante do licenciamento ambiental para a exploração do pré-Sal conduzido pelo Ibama. O PMP-BS vai de Laguna SC até Saquarema RJ e é executado por 15 instituições diferentes.

Leia também:
Pinguins são devolvidos ao mar no sul do Brasil: entre eles, um que recebeu pele sintética por causa de ferida na cabeça

Fotos: Rodrigo Tiburski/R3 Animal

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta