Destruição da Floresta Amazônica em abril é recorde: a maior dos últimos dez anos para esse mês

Destruição da Floresta Amazônica em abril é a maior dos últimos dez anos para esse mês

Em abril passado, foram registrados 529 km2 de desmatamento na Floresta Amazônica, um aumento de 171% em relação ao mesmo mês de 2019, quando foram destruídos 195 km2 de vegetação. O total desmatado no mês passado é um novo (e triste) recorde: o maior dos últimos dez anos para esse mês.

Os números são do mais recente monitoramento divulgado pelo Instituto do Homem e do Meio Ambiente da Amazônia (Imazon)* e revelam que o desmatamento detectado na Amazônia Legal, em abril de 2020, ocorreu no Pará (32%), Mato Grosso (26%), Rondônia (19%), Amazonas (18%), Roraima (4%) e Acre (1%).

A chamada Amazônia Legal é uma área que compreende nove estados brasileiros e corresponde a quase 60% do território nacional.

Destruição da Floresta Amazônica em abril é a maior dos últimos dez anos para esse mês

Ainda de acordo com o Imazon, no período de janeiro a abril de 2020 o desmatamento acumulado é de 1.073 km2, o que representa um salto de 133% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os três municípios que registraram os mais altos índices de derrubada de floresta foram Altamira e São Félix do Xingu, ambos no Pará, e Apuí, no Amazonas.

Destruição da Floresta Amazônica em abril é a maior dos últimos dez anos para esse mês

Na semana passada, também noticiamos nesta outra reportagem, os números apontados pelo levantamento mensal feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), com dados do Deter*, o sistema de alertas de desmatamento, que também indicaram o aumento na destruição da floresta. Todavia, é importante ressaltar que o Inpe e o Amazon utilizam metodologias diversas, que não podem ser comparadas, por esta razão, apresentam resultados diferentes, mas ambos válidos e confiáveis.

Mensalmente, o Imazon realiza o levantamento do desmatamento da Floresta Amazônica, através de dados gerados pela plataforma Google Earth Engine (EE), com a utilização de imagens de satélites e mapas digitais.

Destruição da Floresta Amazônica em abril é a maior dos últimos dez anos para esse mês

*O Imazon é um instituto nacional de pesquisa, sem fins lucrativos, composto por pesquisadores brasileiros, fundado em Belém há 29 anos. Através do sofisticado Sistema de Alerta do Desmatamento (SAD), a organização realiza, há mais de uma década, o trabalho de monitoramento e divulgação de dados sobre o desmatamento e degradação da Amazônia Legal, fornecendo mensalmente alertas independentes e transparentes para orientar mudanças de comportamento que resultem em reduções significativas da destruição das florestas em prol de um desenvolvimento sustentável

Leia também:
Desmatamento de grandes florestas ameaça existência dos “rios voadores” e seu papel fundamental para a ocorrência de chuvas
Bolsonaro dá ao Ministério da Agricultura o poder de autorizar concessões para a gestão de florestas públicas
Funcionários de carreira, especialistas em meio ambiente, são substituídos por policiais militares em chefias no ICMBio

Foto: Ibama/FotosPúblicas e gráficos Imazon

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta