PUBLICIDADE

Descobertas duas novas espécies de árvores frutíferas na Mata Atlântica

Descobertas duas novas espécies de árvores frutíferas na Mata Atlântica

Ao analisar amostras de coleções botânicas coletadas em áreas de Mata Atlântica do estado do Rio de Janeiro, duas plantas chamaram a atenção de pesquisadores, que suspeitaram serem novas espécies, até então não descritas pela ciência. Todavia, para se ter certeza disso eram necessários mais amostras e trabalho em campo.

Foi o que fez então um grupo de sete cientistas do Jardim do Botânico do Rio de Janeiro, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UFRRJ) e da Universidade Federal do Ceará (UFCE).

Em visitas a algumas áreas protegidas nos municípios de Niterói e Maricá, no litoral fluminense, os pesquisadores encontraram o que buscavam e o resultado do esforço é a descoberta de duas novas espécies de árvores frutíferas: a uvaia-pitanga (Eugenia delicata) e a cereja-amarela-de-niterói (Eugenia superba).

PUBLICIDADE

A primeira delas, a uvaia-pitanga, na imagem mais acima, tem frutos alaranjados e azedos. O tronco de sua árvore tem cerca de 12 metros de altura. A floração das pequenas pétalas brancas ocorre entre os meses de maio e setembro.

Já a árvore da cereja-amarela-de-niterói apresenta uma estatura maior, por volta de 15 metros de altura, com um tronco avermelhado. Seus frutos são amarelados e amadurecem a partir de janeiro.

As duas novas espécies pertencem ao gênero Eugenia, que possui mais de 400 espécies na flora brasileira, entre elas, pitombas, uvaias e pitangas. Ambas foram localizadas em áreas do Parque Estadual da Serra da Tiririca, Parque Natural Municipal de Niterói, Monumento Natural Municipal da Pedra de Itaocaia e na Área de Proteção Ambiental do Morcego, da Fortaleza de Santa Cruz, dos Fortes do Pico e do Rio Branco.

Descobertas duas novas espécies de árvores frutíferas na Mata Atlântica

Frutos da cereja-amarela-de-niterói
(Foto: Divulgação/Thiago Fernandes)

Entretanto, no artigo científico na revista científica Kew Bulletin, em que descrevem a descoberta, os pesquisadores alertam que as árvores já devem ser consideradas ameaçadas de extinção, pois foram encontradas em fragmentos de florestas, em áreas de ocorrências limitadas e em pequenos números. No caso da cereja-amarela-de-niterói foram achadas somente quatro árvores adultas.

Apesar de estarem dentro de reservas de proteção, os cientistas explicam que elas estão sujeitas a ameaças como incêndios florestais.

“Como ambas as espécies possuem frutos comestíveis, incentivamos seu cultivo como árvores ornamentais e frutíferas para promover sua conservação ex-situ”, dizem os cientistas no artigo da Kew Bulletin. Ex-situ significa o cultivo, no caso de plantas, fora de seu ambiente natural.

A Mata Atlântica é um dos maiores biomas do Brasil, mas hoje conta com somente cerca de 12% de sua área original. Entre 2020 e 2021 houve um aumento de 66% na destruição de sua vegetação, em relação ao período anterior (2019 – 2020). Em apenas um ano, a perda de florestas nativas chegou a 21.642 hectares, o equivalente a mais de 20 mil campos de futebol.

Descobertas duas novas espécies de árvores frutíferas na Mata Atlântica

Um dos exemplares da Cereja-amarela-de-niterói: pesquisadores ficaram impressionados com sua imponência, daí o nome científico Eugenia “superba”

*Com informações da reportagem do site ((o))eco

Leia também:
Beija-flor preto, endêmico da Mata Atlântica, emite raro canto ultrassônico e intriga pesquisadores
Descrita nova espécie de bicho-preguiça na Mata Atlântica, encontrada nos estados do Rio de Janeiro e no Espírito Santo
Mata Atlântica perdeu uma área equivalente a 20 mil campos de futebol em apenas um ano

Foto de abertura: Divulgação/Thiago Fernandes

Comentários
guest

16 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rogerio
Rogerio
1 ano atrás

Esta cereja-amarela-de-Niterói, lembra um pouco a Grumixama pela foto; gostei da matéria e da descoberta, espero que espalhem as sementes por muitos lugares e que esta árvore não continue em risco de extinção!!

Eduardo Gorski
Eduardo Gorski
1 ano atrás

Está ovaia tenho aqui no meu sítio. Tenho duas qualidades, uma mais doce e se parece muito com a foto apresenta. A outra é mais parecida com pitanga, amarela, porém um pouco mais azeda. A primeira dá uma árvore bem mais alta que a segunda.

Manfred Osterroht
1 ano atrás

Estimada Suzana, parabéns pelo resgate, das especies, da noticia, tudo isso tem imenso valor!
Gostaria de pedir um contato, saber se podemos comprar algumas sementes, para plantio aqui no nosso sitio regenerativo. Abraços, Manfred

Andréa
Andréa
1 ano atrás

O Prefeitura do municipio de Marica e Niterói poderiam fazer a distribuição daa sementes ou mudas.

Aliomar José Vieira
Aliomar José Vieira
1 ano atrás

Oiiiie, tenho aqui na minha chácara a uvaia, e , tem no centro da minha cidade tbem…. conheço desde criança essa fruta…. não é nova não…

KARINNE PEREIRA DA SILVA
KARINNE PEREIRA DA SILVA
1 ano atrás

Uvaia-pitanga ou ubaia temos aqui em Recife, exatamente essas espécie! Inclusive plantadas em calçadas ao lado do TRE na Av Agamenon Magalhães, e na Praça em frente ao Memorial de Medicina. Tbm tenho 03 plantadas no meu sítio onde resido em IGARASSU.
Nas matas preservadas na RMR tbm encontramos, e é das sementes que algumas sementeiras fazem e vendem as mudas.

MARIO Cordeiro
MARIO Cordeiro
1 ano atrás

Vi a fruta em Curitiba, PR.

Alberto Augusto
Alberto Augusto
1 ano atrás

Aqui na Paraiba, na mata-atlântica do Litoral Norte tem bastante ocorrência de uvaias, que variam a coloração de amararelas a alaranjadas. Essa cereja também ocorre aqui. O porte das árvores variam de acordo com o terreno.

Cleuzo Pinto de Almeida
Cleuzo Pinto de Almeida
1 ano atrás

Muitas variedades se formam em compatibilidade com o bioma e precisam do ambiente propício.
Temos exemplo dos ipês que em sua florada encantam, em ambiente urbano ficam retorcidos, as raízes afloram, sofrem com pragas, sendo que em ambiente de floresta são imponentes

Orlando Jorge
Orlando Jorge
1 ano atrás

Próximo a Pipa -RN existe uma mata, quase toda exclusiva de ubaia. Tenho um sítio em Montadas -PB onde plantei alguns exemplares.

Vanny Damásio
Vanny Damásio
1 ano atrás

Muito bom o conteúdo da matéria vamos espalhar as semente para que aja muito mais, parabéns a todos os envolvidos.

Josemir Menezes Ribeiro
Josemir Menezes Ribeiro
1 ano atrás

Boa tarde pessoal. Moro em Capela Sergipe Brasil e tenho aqui no quintal, trouxe uma muda quando fui à Maceió e já está produzindo.

Srrgio
Srrgio
1 ano atrás

Conheci a amarelo em Curitiba e em Francisco Beltrão Paraná

Theo
Theo
1 ano atrás

Por mais prestígio as nossas frutas!

Oficina do Paisagista
1 ano atrás

Imensa biodiversidade, a natureza ainda tem muito a nos revelar.

Notícias Relacionadas
Sobre o autor
PUBLICIDADE
Receba notícias por e-mail

Digite seu endereço eletrônico abaixo para receber notificações das novas publicações do Conexão Planeta.

  • PUBLICIDADE

    Mais lidas

    PUBLICIDADE