Descoberta nova espécie de baleia no Golfo do México

Descoberta nova espécie de baleia no Golfo do México

Até há pouquíssimo tempo – na verdade, há exatos sete dias -, acreditava-se as baleias-de-bryde (Balaenoptera edeni) compreendiam um grupo de cetáceos, de médio porte, que ocorre nas águas tropicais das três principais bacias oceânicas do mundo – Índico, Atlântico e Pacífico. Era uma única espécie, com duas subespécies. Todavia, pesquisadores dos Estados Unidos acabam de confirmar, em um artigo científico, uma espécie adicional: a baleia-de-rice.

A descrição da nova espécie se deu após um longo trabalho de análise de uma baleia de 11 metros, que havia sido encontrada morta, em 2019, na região do Golfo do México, na Flórida. Com a carcaça em perfeitas condições e com exames genéticos e morfológicos, Patricia Rosel e Lynsey Wilcox, cientistas da Agência Nacional de Oceano e Atmosfera (NOAA), chegaram à conclusão de que ela era diferente das demais existentes.

Patricia e Lynsey já estudavam essas baleias desde 1990. Havia uma desconfiança de que um pequeno grupo, observado ao norte do Golfo do México, era diferente das demais baleias-de-bryde.

Descoberta nova espécie de baleia no Golfo do México

A baleia-de-rice pode pesar até 30 toneladas

O processo para a descrição de uma nova espécie não é simples. Pode levar muitos anos. Ele envolve pesquisa, tempo, colaborações e revisões de vários cientistas. No caso da nova baleia, os pesquisadores do NOAA usaram observações de campo (feitas no mar) e amostras de biópsia para análises genéticas (foram recolhidas amostras de 36 indivíduos). Só depois de todas as evidências serem compiladas e aceitas é que uma nova espécie pode ser descrita oficialmente pela ciência. Ela recebe um nome latino e um “nome comum”. O nome latino para a baleia de Rice é Balaenoptera ricei. Ele foi escolhido para homenagear um biólogo americano, Dale Rice.

Uma das principais diferenças da Balaenoptera ricei em relação à Balaenoptera edeni é que ela busca seu alimento em águas bem mais profundas.

Infelizmente, sabe-se que a nova espécie descrita está criticamente ameaçada de extinção. Estima-se que o grupo dessa espécie tenha somente uns 100 indivíduos.

Descoberta nova espécie de baleia no Golfo do México

Patricia Rosel examinando a ossada de uma baleia-de-rice

A baleia-de-rice

– A espécie pode pesar até 30 toneladas, o que é cerca de cinco vezes mais do que um elefante!

– Como suas espécies irmãs, a baleia-de-rice têm três cristas laterais no topo do rostro (área da mandíbula superior);

– Não se sabe muito sobre sua expectativa de vida, mas espécies similares atingem a maturidade sexual aos nove anos de idade e podem viver cerca de 60 anos;

– As maiores ameaças à espécie incluem colisões com embarcações, ruído oceânico, desenvolvimento e produção de energia, vazamentos de óleo e emaranhamento em equipamentos de pesca e detritos oceânicos.

*Com informações e textos do NOAA

Leia também:
Aumento da população da única espécie de baleia natural do Ártico anima, e também, intriga biólogos
Cientistas acreditam ter descoberto uma nova espécie de baleia no México
Biólogos registram, em vídeo, flagrante raro de baleia jubarte amamentando seu filhote
Depois de quase extintas, baleias jubarte atingem número recorde no Brasil e Atlântico Sul
A baleia branca mais famosa do mundo é avistada na costa da Austrália
Cientistas conseguem gravar, pela primeira vez, canto da baleia mais rara do mundo

Fotos: Jolene Bertoldi/Wikimedia Commons (abertura) e National Oceanic and Atmospheric Association (NOAA)

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta