Descoberta na Amazônia peruana nova espécie de rã: cor de chocolate, ela tem um nariz parecido com o da anta

Descoberta na Amazônia peruana nova espécie de rã: cor de chocolate, ela tem um nariz parecido com o da anta

Ela já era velha conhecida dos povos indígenas da comunidade de Tres Esquinas, que a chamavam de rana danta, na tradução do espanhol para o português, rã-anta. Mas como vive embaixo do solo, até hoje cientistas não tinham conseguido descrever a espécie. Todavia, recentemente, durante uma pesquisa de campo, um grupo de biólogos de vários países conseguiu encontrar o pequeno anfíbio, que tem entre 1 e 2 cm e cor de chocolate.

Foi com a ajuda de guias locais e através do coaxar da rã que os pesquisadores a localizaram em áreas de turfas, vegetação encontrada geralmente em pântanos e também em montanhas, na bacia de Putumayo, no Peru, uma região que ainda está protegida do desmatamento e que tem um rio de curso livre que a cruza, o Putumayo.

“Podíamos ouví-las embaixo do solo, fazendo croac, croac, croac, e parávamos, apagávamos as luzes, vasculhávamos e depois ouvíamos de novo. Depois de algumas horas, uma saltou de sua pequena toca e começamos a gritar: ‘Alguém pegue!’”, relembra Michelle Thompson, cientista do Keller Science Action Center do Chicago’s Field Museum.

Após a realização de exames de DNA e análises da vocalização do animal para se ter a certeza de que aquela era realmente uma nova espécie, a rã-anta foi batizada com o nome científico de Synapturanus danta.

“As rãs desse gênero estão espalhadas por toda a Amazônia, mas como vivem no subsolo e não podem ir muito longe cavando, as áreas em que estão distribuídas são bastante pequenas. A forma do corpo e o aspecto geral parecem estar adaptados ao solo macio da turfeira, ao invés da forma robusta e mais larga das espécies de outros ambientes”, explica Germán Chávez, pesquisador do Instituto Peruano de Herpetología.

De acordo com os cientistas, a rã-anta é vital para o seu ecossistema, pois ao escavar, se alimentar e colocar seus ovos no solo, contribui também para a ciclagem de nutrientes e a alteração de sua estrutura. “Ela é um exemplo da diversidade oculta da Amazônia, e é importante documentá-la para entender a importância desse ecossistema”, ressalta Michelle.

Descoberta na Amazônia peruana nova espécie de rã: cor de chocolate, ela tem um nariz parecido com o da anta

A minúscula rã-anta tem o tamanho de uma moeda

*Com informações do Field Museum of Chicago

Leia também:
Nova perereca-chocolate pode ajudar a entender melhor a origem de espécies da Austrália
‘Scinax tropicalia’: a nova espécie de perereca da Mata Atlântica que homenageia o Tropicalismo
Nome de nova espécie de perereca descoberta em Pernambuco homenageia Luiz Gonzaga e ganha até baião do neto do cantor
Perereca rara, que além de pular, consegue caminhar, é encontrada em Rondônia
América do Sul abriga mais de 2,5 mil espécies de sapos, rãs e pererecas

Fotos: SWNS via Field Museum of Chicago

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.