Criado no morro da Mangueira, o violinista Nathan Amaral vence concurso nos Estados Unidos

Criado no morro da Mangueira, o violinista Nathan Amaral vence concurso nos Estados Unidos

Na noite de 27 de janeiro, em Detroit (EUA), o jovem violinista Nathan Amaral executou com maestria uma obra do compositor inglês de ascendência africana Samuel Coleridge-Taylor – o primeiro movimento do concerto para violino e orquestra em Sol Menor – e venceu o prêmio da 27ª edição do Concurso Sphinx 2024, na categoria sênior (18 a 30 anos).

O primeiro lugar na disputa lhe garantiu US$ 50 mil, além de contratos para participar, como solista, de concertos com grandes orquestras (assista à linda performance no vídeo da transmissão ao vivo, que reproduzo no final deste post, a partir de 34’ e 34’’).

Promovido pela Sphinx Organization – instituição dedicada à transformação social por meio das artes – o concurso é uma oportunidade para jovens músicos negros e latinos, que tocam instrumentos de corda (violão, violino, contrabaixo, harpa), de se apresentarem e receberem orientação de músicos profissionais consagrados.  

Talento nato 

Nascido no morro da Mangueira, no Rio de Janeiro, um dia Nathan recebeu em sua casa a visita de um funcionário do Centro Cultural Cartola, que o convidou para participar. Ele tinha 11 anos e ficou encantado, e sua mãe, Roberta Amaral, o incentivou a se inscrever, apesar de o filho não ter nenhuma experiência musical.

Lá, conheceu a professora Noemi Uzeda, que ministrava aulas de musicalização e violino para crianças, e graças à sua sensibilidade, o menino foi identificado como um grande talento. 

Ainda no ensino básico, ele foi encaminhado pela professora querida para estudar com o violinista, maestro e produtor musical Bernardo Bessler

Mas, cinco anos depois, a mãe que tanto o incentivara, quase interrompe sua brilhante carreira (que ali se desenhava) por sua influência. Ela queria que ele abandonasse a música para se formar num curso técnico, ter logo uma profissão para arrumar um emprego e receber salário. 

Com o apoio de Noemi, Nathan enfrentou o desejo materno e seguiu o seu: continuar estudando e se aperfeiçoar cada vez mais no instrumento, o que o levou a passar em primeiro lugar no curso de violino da UniRio – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, aos 17 anos. 

No entanto, os estudos nessa instituição não foram muito adiante: no segundo ano, o jovem abandonou o curso para estudar com uma bolsa da OSESP – Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e orientação do italiano Emmanuele Baldini, primeiro violinista da orquestra (spalla).

Tempos depois, mais afiado, teve sua primeira oportunidade para estudar fora do país: na Universidade Mozarteum de Salzburgo, na Áustria, com a suíça Esther Hoppe, violinista de grande reputação internacional. E só conseguiu se manter na Europa devido ao respaldo de uma ‘gorda’ vaquinha online.  

Criado no morro da Mangueira, o violinista Nathan Amaral vence concurso nos Estados Unidos
Nathan durante o tempo de estudos na Áustria / Foto: divulgação

O próximo passo o levou para o outro lado do oceano, no Conservatório de New England, nos Estados Unidos, onde estudou com Donald Wallerstein.  

Hoje, o violinista carioca vive em Berlim e é bastante requisitado para apresentações em salas de prestígio como a da Filarmônica de Berlim, do Wigmore Hall, em Londres, e na Grande Sala do Mozarteum austríaco. 

Antes da vitória no concurso da Sphinx, Nathan já havia gravado seu primeiro álbum, que será lançado este ano pelo prestigioso selo britânico Decca Records.

Como todo artista, Nathan é perfeccionista e, ontem, no Instagram, contou que estava “ouvindo e analisando as coisas que eu poderia ter feito melhor. Esta é uma das partes mais dolorosas do processo, mas é realmente importante estar consciente das coisas boas e das coisas que podem ser melhoradas”. 

Confira a seguir, o pequeno trecho da apresentação de Nathan no concurso, que ele divulgou e comentou em seu perfil. Se preferir acompanhar toda a execução, passe para o vídeo seguinte e vá até 34’ e 34’’. E, por fim, no terceiro vídeo, o violinista talentoso fala dele quando ainda era semifinalista do Concurso Sphinx (em inglês).

Foto: divulgação/Sphinx

Fontes: G1, Revista Concerto, Correio Brasiliense

2 comentários em “Criado no morro da Mangueira, o violinista Nathan Amaral vence concurso nos Estados Unidos

  • 1 de fevereiro de 2024 em 7:15 AM
    Permalink

    Que história maravilhosa e inspiradora! Parabéns, Mônica e toda equipe do Conexão Planeta!❤️????????

    Resposta
    • 5 de fevereiro de 2024 em 1:28 PM
      Permalink

      Obrigada, Vanusa!
      Que bom que vc gostou da matéria.
      A história de Nathan Amaral é muito inspiradora.
      Grande abraço
      Mônica Nunes

      Resposta

Deixe uma resposta

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.