Criada numa comunidade de Recife, empreendedora social e artivista brasileira é eleita Miss Alemanha

Brasileira, empreendedora social e artivista, e criada numa comunidade de Recife, é eleita Miss Alemanha

Antes que você comece a ler este texto e pense “Nossa, competição de miss? Que coisa mais antiga e machista!”, é preciso esclarecer que o concurso da Miss Alemanha foi modificado justamente para reconhecer o talento e a determinação de mulheres batalhadoras e com histórias e trajetórias que merecem ser conhecidas, e não mais para eleger a “mais bonita”. Todavia, não há como negar que a pernambucana Domitila Barros, de 37 anos, é linda e um orgulho para o nosso país.

Ela foi eleita Miss Alemanha no último sábado (19/02), numa cerimônia na Arena Europa-Park, em Rust, na região de Baden. Mas como a brasileira conquistou esse título?

Formada em Serviço Social e Mestre em Políticas Sociais pela Universidade de Berlim, Domitila mora há mais de 20 anos na capital alemã. Mas começou sua trajetória social na comunidade da Linha do Tiro, na periferia de Recife. Lá ela ajudava a mãe no trabalho do Centro de Atendimento à Meninas e Meninos (CAMM), uma organização que atende crianças locais e também, de favelas vizinhas, oferecendo atividades educacionais e culturais, e ainda, refeições diárias.

Por causa de seu engajamento na CAMM, quando tinha 15 anos, recebeu o Prêmio Millenium Dreamer – Sonhadora do Milênio, da Unesco, e representou o Brasil em um fórum nos Estados Unidos. Depois disso, se tornou uma embaixadora da projeto de Recife e foi convidada para dar palestras em diversos países.

Apesar de estabelecida na Alemanha, Domitila manteve seus laços com o Brasil. Ao unir “arte e ativismo, por isso é considerada uma “artivista”, criou a marca “She is from the Jungle”, que vende biquínis e biojoias, feitas com capim dourado, e produzidas por artesãs pernambucanas, entre elas, mães solteiras, que precisam criar seus filhos sozinhas. As peças fizeram parte da Semana de Moda de Berlim, em 2019.

Brasileira, empreendedora social e artivista, e criada numa comunidade de Recife, é eleita Miss Alemanha

Domitila fotografada vestindo peças produzidas por mães solteiras da ONG de Recife

Já em suas redes sociais, a pernambucana, que não tem carro e evita comprar roupas novas, apenas de brechós, defende a causa ambiental.

E foi por todo esse trabalho – ah, ela também trabalha como modelo e atriz -, que Domitila ganhou a faixa de Miss Alemanha: uma imigrante, que cresceu numa favela e teve o trabalho reconhecido num país europeu.

“Eu acho isso muito, muito importante, até pelo fato de eu ser uma mulher, brasileira, negra. A gente sabe que a imagem da brasileira fora do Brasil é muito limitada a alguns estereótipos, e pra mim é uma honra muito grande representar todas essas mulheres maravilhosas através da minha missão e da minha mensagem. Estou até sem palavras de dizem quão feliz estou”, contou ela ao Conexão Planeta.

Perguntada sobre o que acredita ser essencial para que mais mulheres e meninas, como ela, possam ter um futuro como o dela, com mais chances e sucesso, ela respondeu: “A coisa mais importante para qualquer leitora que esteja lendo esta entrevista agora e queira mudar seu futuro e criar a realidade dela é ter acesso e levar a sério a educação”.

Domitila foi escolhida entre outras onze candidatas, que chegaram à fase final do concurso. Mesmo sabendo de toda sua trajetória e luta, ela confessa que foi surpreendida pelo resultado.

“É uma mistura de gratidão, felicidade e de dever cumprido. Porque mesmo tendo sempre me esforçado muito com meus projetos, eu nunca na vida imaginaria que eles me levariam tão longe ao palco do Miss Alemanha e sair de lá campeã de um concurso tão importante na Europa”.

Brasileira, empreendedora social e artivista, e criada numa comunidade de Recife, é eleita Miss Alemanha

A brasileira ao lado das crianças atendidas pelo projeto social CAMM em sua cidade natal

Fotos: arquivo pessoal/divulgação She is from the Jungle

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta