Costureiras das Escolas de Samba do Rio estão confeccionando máscaras e aventais para profissionais de saúde

Costureiras das Escolas de Samba do Rio de Janeiro fazem máscaras e aventais para profissionais de saúde e moradores de comunidades

Todos juntos contra o coronavírus! No Rio de Janeiro, os profissionais de saúde da rede pública ganharam uma nova ajuda: uma parceria da prefeitura com a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) vai garantir mais aventais de proteção para médicos e enfermeiras e máscaras para os moradores de comunidades das agremiações.

Costureiras de 12 escolas do Grupo Especial, além da União da Ilha e Estácio de Sá, confeccionarão os aventais para os profissionais dos postos de atendimento e hospitais públicos.

A RioSaúde, coordenadora da ação, repassou as especificações dos moldes e está fornecendo a matéria-prima, além de máscaras e álcool em gel para que as costureiras façam a higienização das mãos antes de manusear os tecidos. As profissionais serão remuneradas pelo trabalho.

De acordo com a prefeitura da cidade, apenas no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, referência para tratamento do COVID-19, são utilizados 2 mil aventais por dia. Esse tipo de vestimenta, chamado de equipamento de proteção individual (EPI), é essencial para que os profissionais evitem o contágio pelo vírus. Mas por ser produzido com material descartável, é necessária a reposição constante dos estoques.

“Estamos colocando nosso principal ateliê à disposição, com seis a sete costureiras trabalhando. Elas já viram que o modelo é simples de fazer, então vamos conseguir costurar uma boa quantidade. Temos máquina industrial, poderemos cortar até 100 moldes por vez”, afirmou Lenilson Leal, presidente da Unidos de Padre Miguel.

Além da confecção de aventais e máscaras pelas costureiras, muitas quadras de escolas estão servindo como ponto de doação e coleta de alimentos e remédios para os moradores dessas comunidades.

“A máscara é uma forma de proteger a gente e as outras pessoas. Esse momento é crucial para trabalharmos juntos nessa força-tarefa e ajudarmos quem nos ajuda o ano inteiro. É o momento de darmos as mãos e sairmos dessa crise. Para não deixarmos a população sofrer um impacto maior”, destacou Jorge Castanheira, presidente da Liesa.

*Com informações da Agência de Notícias da Prefeitura do Rio de Janeiro

Leia também:
Máscara de proteção caseira ajuda a evitar o contágio por coronavírus: se precisar sair de casa, não vá sem ela!
Universidades de todo país estão produzindo máscaras e viseiras em impressoras 3D para ajudar profissionais de saúde
Universidade paraense e o Projeto Saúde e Alegria fabricam máscaras e óculos com impressora 3D para profissionais de saúde de Santarém
Hotéis do Rio de Janeiro oferecem estadia a idosos de comunidades carentes para que eles possam se proteger do coronavírus

Foto: divulgação

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta