Corações da Big Heart Parade, em exposição em BH, vão a leilão em prol da Mata Atlântica

Depois de passar por São Paulo, as 31 esculturas de corações da intervenção artística Bhttps://www.instagram.com/bigheartparade/ig Heart Parade – edição Mata Atlântica – inspiradas em espécies típicas da região – se instalaram em Belo Horizonte para sensibilizar a população que circula pela capital mineira sobre a importância de se preservar um dos principais biomas do planeta.

Com curadoria de Thiago Cóstackz, artista multimidia e documentarista, as obras são assinadas por artistas consolidados e jovens talentos engajados com a causa ambiental. São eles: Yara Tupynambá, Auá MendesBianca ForatoriColetivo Indígenas do Vale, Enivo, Eva Uviedo, Fétosz, Flip,Franncine de MirandaGuilherme Kramer, Highraff, Hope, Ignoto, Jae Alves, Ju AmoraJu Violeta, Karen Dolorez, Kaur-Art,Luna B., Mariana Rodrigues, Nathalia MarszamNunca, Possos, Pri Barbosa, Rodrigo Pasarello, Tamikuã Txihi, Thiago Nevs, Viviane Carneiro e Thiago Cóstackz.  

A artista indigena Yara Tupinambá e sua obra ‘A Grande Árvore’ / Foto: divulgacão

O ator Reynaldo Gianecchini, em uma coautoria com a artista plástica Claudia Liz, e a jornalista Sônia Bridi, em parceria com o cinegrafista e fotógrafo Paulo Zero, também participam da mostra. 

Este é o coração de Reynaldo Gianecchini e Claudia Liz, exposto em São Paulo, que também participa da exposição em Belo Horizonte e será leiloado / Foto: divulgação

Os corações estão expostos na Praça da Liberdade (Alameda Central, Savassi) até 31 de maio e já disponíveis para o leilão, que será realizado em 29 de maio, às 19h30, pelo site do leiloeiro Roberto Magalhães Gouvêa. O lance mínimo ê de R$ 5 mil reais.

Os recursos obtidos com os lances serão destinados a projetos de reflorestamento da mata do Povo Potiguara Ibirapi, que integra a comunidade indígena do vale do Ceará-Mirim, no Rio Grande do Norte, e ao IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas cuja missão é desenvolver e disseminar modelos inovadores de conservação da biodiversidade, que promovam benefícios socioeconômicos por meio de ciência, educação e negócios sustentáveis.

A concepção da exposição e a organização do leitão são da Toptrends.  

Foto (destaque): divulgação

Deixe uma resposta

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.