Considerada extinta há quase 40 anos, planta é redescoberta em Parque Estadual de Cabo Frio, no Rio de Janeiro

Considerada extinta há quase 40 anos, planta é redescoberta em Parque Estadual de Cabo Frio, no Rio de Janeiro

A última vez que a Pleroma hirsutissimum havia sido observada na natureza foi em 1982. Planta endêmica das restingas de Cabo Frio e Arraial do Cabo, no estado do Rio de Janeiro – ou seja, ela só existe ali e em nenhum outro lugar do mundo -, é considerada criticamente em perigo de extinção. Todavia, em uma expedição recente, ela foi redescoberta.

Pesquisadores do projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção relataram o registro da planta após uma série de estudos de campos no mês de novembro de 2020, que tinham como finalidade a coleta de sementes e produção de mudas de espécies nativas do estado. 

A Pleroma hirsutissimum foi encontrada no Parque Estadual Costa do Sol, em Cabo Frio, uma área de mais de 9 mil hectares, localizada na Região dos Lagos, e que tem importante papel na na proteção de ecossistemas como sambaquis, dunas, restingas, lagoas e florestas.

 “A redescoberta de uma espécie tão rara foi um resultado importante e inesperado, um excelente exemplo de como os planos territoriais podem beneficiar outras espécies. Esse resultado só foi possível porque tivemos um trabalho em conjunto de órgãos públicos, ONGs e academia”, afirma Anna Carolina Lins, analista de conservação do WWF-Brasil.

Considerada extinta há quase 40 anos, planta é redescoberta em Parque Estadual de Cabo Frio, no Rio de Janeiro

Acredita-se que os principais responsáveis pelo desaparecimento da Pleroma hirsutissimum foram a expansão imobiliária na região e o impacto provocado pelo turismo de veraneio.

O projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção* tem como objetivo estimular iniciativas para reduzir as ameaças e melhorar o estado de conservação de pelo menos 290 espécies categorizadas como criticamente em perigo e que não contam com nenhum instrumento de conservação. 

Considerada extinta há quase 40 anos, planta é redescoberta em Parque Estadual de Cabo Frio, no Rio de Janeiro

Detalhe da folha da Pleroma hirsutissimum

*O Projeto Pró-Espécies: Todos contra a extinção é financiado pelo Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, da sigla em inglês para Global EnvironmentFacility Trust Fund), coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente, implementado pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), sendo o WWF-Brasil a agência executora. 

Leia também:
Pesquisadores identificam novas espécies de plantas carnívoras na Amazônia, já ameaçadas pelo fogo e pelo desmatamento
Duas em cada cinco plantas do planeta correm risco de extinção: 723 delas são usadas como medicamentos
Quase 600 espécies de plantas foram extintas no planeta nos últimos 250 anos

Fotos: Inara Carolina da Silva Batista

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Deixe uma resposta