Como garantir mais natureza para as crianças? Alana e Sesc buscam caminhos em festival online e gratuito

Sabemos que um meio ambiente ecologicamente equilibrado é essencial para a saúde e o bem-estar dos seres humanos, desde a infância. Mas como implementar ações e soluções para garantir que as crianças tenham direito à natureza a partir de agora? E como garantir os direitos da própria Natureza?

Para refletir sobre essas questões, de 17 a 19 de agosto, o Instituto Alana e o Sesc realizam a primeira edição do Festival Criança e Natureza, totalmente gratuito e online (com inscrição), pelos canais do Alana e do Sesc no YouTube, com tradução em libras e legendagem em tempo real.

Para participar, estão convidados o público e personalidades muito especiais como Bela Gil, apresentadora, chef de cozinha natural e ativista da boa alimentação; Taís Araújo, atriz, apresentadora e jornalista, defensora do Direito das Mulheres Negras da ONU; Gaby Amarantos, cantora e defensora dos novecentos negros, LGBTQIA+ e direitos das mulheres; Catarina Lorenzo, de 14 anos, surfista e ativista climátical; Juliana Tozzi, engenheira e primeira montanhista cadeirante, fundadora do Instituto Montanha para Todos; Cristine Takuá, educadora e artesã indígena, que vive em aldeia Guarani, na Serra do Mar; Lis Leão, especialista em educação e saúde pública; Txai Suruí, graduanda de direito e ativista do povo Paiter Suruí, de Roraima; e Luiz Alberto Sabóia, presidente da Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza, e Tasso Azevedo, consultor e empreendedor social em Sustentabilidade, Floresta e Clima.

A iniciativa é voltada para famílias, educadores, ativistas urbanos e ambientalistas, jovens, gestores municipais e profissionais e acadêmicos do direito e tem, como objetivo, promover reflexões sobre o direito à natureza e ao bem viver para o desenvolvimento integral de bebês, crianças e adolescentes e, também, sobre os direitos da própria natureza.

A intenção é apontar a urgência de implementar soluções que podem nos ajudar a “fazer as pazes” com a natureza, convidando o público participante a buscar caminhos para “desemparedar” a infância criando escolas, parques e bairros mais verdes. Serão apresentados casos práticos

“A construção de praças com espaços para encontro e brincadeiras em todos os bairros da cidade, a criação e recuperação de parques públicos, a redução da poluição e o reforço na arborização da cidade são exemplos de políticas favoráveis à infância”, destaca JP Amaral, coordenador do programa Criança e Natureza, do Alana.

“Precisamos buscar caminhos práticos, com soluções baseadas na natureza, para que o direito à vida e à saúde, em um meio ambiente equilibrado, prevaleçam. Esse é um dever de todos: famílias, profissionais, empresas, poder público. É essencial e urgente!”, acrescenta. 

Verifique os horários a cada dia:
– 17 de agosto: abertura das 19h às 20h30
– 18 de agosto: boas-vindas e painéis das 10h às 12h e 13h30 às 15h 
– 19 de agosto: 10h às 11h30 e 13h30 às 15h.

Os participantes receberão certificado.

Foto: Renata Ursaia

Mônica Nunes

Jornalista com experiência em revistas e internet, escreveu sobre moda, luxo, saúde, educação financeira e sustentabilidade. Trabalhou durante 14 anos na Editora Abril. Foi editora na revista Claudia, no site feminino Paralela, e colaborou com Você S.A. e Capricho. Por oito anos, dirigiu o premiado site Planeta Sustentável, da mesma editora, considerado pela United Nations Foundation como o maior portal no tema. Integrou a Rede de Mulheres Líderes em Sustentabilidade e, em 2015, participou da conferência TEDxSãoPaulo.

Deixe uma resposta