Com tuíte irônico, Greta ‘acaba’ com Andrew Tate, celebridade que debochou sobre emissões de seus carros

Greta

Andrew Tate perdeu a chance de ficar calado. Aliás, faz muito tempo. Mas agora recebeu uma resposta da ativista climática Greta Thunberg que ganhou as manchetes mundiais. O tricampeão de kickboxer britânico-americano, empresário e celebridade em algumas redes sociais, é notório por suas falas machistas, completamente inaceitáveis e inapropriadas, e seu discurso de ódio (há poucos dias ele e o irmão foram presos na Romênia, acusados de envolvimento com tráfico humano).

Banido de várias plataformas como o Youtube, Instagram e Twitter, ele conseguiu recuperar sua conta nesta última após Elon Musk assumir o comando dela. Decidiu então debochar de Greta, atualmente com 19 anos, e tuitou no dia 27 de setembro:

“Olá @GretaThunberg. Eu tenho 33 carros. Meu Bugatti tem um quad turbo w16 8.0L. Meus DOIS Ferrari 812 competizione têm 6.5L v12s. Este é apenas o começo. Por favor, me informe seu e-mail para que eu possa enviar a lista completa de meus veículos e o volume enorme de emissões dos mesmos”.

Querendo ganhar atenção com a postagem, Tate provavelmente não esperava que a jovem usasse de extrema ironia e inteligência para rebater a mensagem.

“Sim, por favor, me esclareça. Envie-me um e-mail para ‘smalldickenergy@getalife.com’, escreveu Greta. Na tradução para o português, o endereço seria algo como ‘energiadopequenopau@vaiacharoquefazer.com’, uma referência clara à necessidade de certos homens precisarem ter carrões para provar sua virilidade.

Nada menos do que 3,9 milhões de pessoas curtiram a resposta de Greta e outras 685 mil, até o momento, retuitaram o post. Bom, a ativista possui 5,7 milhões de seguidores no Twitter, contra pouco mais de 18 mil de Tate.

Com tuíte irônico, Greta 'acaba' com Andrew Tate, celebridade que debochou sobre emissões de seus carros

A resposta de Greta a Tate: o tiro saiu pela culatra

Alguns dias depois, o “influencer” fez várias postagens sobre pizza. Após ser preso, novamente Greta não perdeu a oportunidade de alfinetá-lo. “É isso o que acontece quando não se recicla as caixas das suas pizzas”.

Essa não é a primeira vez que a jovem abusa da ironia para contestar aqueles que tentam fazer graça de seu ativismo. Foi o que aconteceu em 2019, quando o ex-presidente Jair Bolsonaro a chamou de pirralha e ela estampou a palavra, assim mesmo, em português, em seu perfil no Twitter.

Greta se tornou uma referência mundial em 2019 quando inspirou milhões de estudantes a irem para as ruas protestar contra a inação de governos para combater a crise climática. Indicada ao Prêmio Nobel da Paz, escolhida como ‘Personalidade do Ano’ pela revista Time e homenageada por uma série de outras publicações e entidades, a adolescente não mediu esforços para ressaltar que é preciso escutar a ciência.

Naquele ano, David Attenborough, considerado um dos mais importantes naturalistas – se não, o mais -, do mundo, e também, uma das vozes mais influentes na atualidade sobre as mudanças climáticas, afirmou que “Greta conseguiu fazer o que muitos de nós tentamos e não conseguimos nos últimos 20 anos” (leia mais aqui).

Leia também:
Se um bando de estudantes conseguiu levar milhões de pessoas às ruas, imagine o que poderíamos fazer juntos se tentássemos”, diz Greta sobre a crise climática
Greta lançará livro sobre a crise climática com mais de 100 colaboradores do mundo todo, entre eles, três brasileiros
“Não podemos mais deixar que pessoas no poder decidam o que é esperança. Esperança não é blá, blá, blá. Esperança é dizer a verdade e agir”, diz Greta
Nome de nova espécie de sapo descoberta no Panamá homenageia a ativista Greta Thunberg

Foto de abertura: reprodução Facebook Greta Thunberg

Deixe uma resposta

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.