Com meta de ter 50% do cardápio sem carne até 2030, Burger King lança nugget vegano no Reino Unido

Com meta de ter 50% do cardápio sem carne até 2030, Burger King lança nugget vegano no Reino Unido

Este parece ser mesmo um caminho sem volta. Pelo planeta, pelos animais, pela saúde e pelos negócios. Afinal, cresce cada vez mais o número de pessoas adeptas do veganismo e também, a pressão popular para que as empresas do setor ofereçam opções de alimentos mais sustentáveis. Ciente deste novo cenário, muitos restaurantes e cadeias de fast food já estão mudando seus cardápios. Um exemplo? A rede Burger King acaba de lançar um nugget vegano, feito apenas com vegetais.

Os nuggets, desenvolvidos em parceria com a Vegetarian Butcher, ganharam o selo da Vegan Society, a mais antiga organização dessa área no mundo, fundada em 1944. A base principal é a soja, adicionada de outras proteínas vegetais.

Há dois anos o Burger King britânico já tinha se arriscado no veganismo com o Rebel Whopper burger. Todavia, na época houve uma grande polêmica porque descobriu-se que o hamburguer vegetal era frito na mesma grelha daqueles produzidos com carne. Para resolver o problema, em 2021 foi lançado o Vegan Royale, que tem sua produção toda em separado dos demais alimentos que possuem proteínas animais.

Segundo a companhia, a meta para o Reino Unido é ter 50% do cardápio sem carne até 2030 e assim, atingir o compromisso de reduzir em 41% as emissões de gases de efeito estufa da rede nos próximos oito anos.

O Burger King é a segunda maior rede de hambúrguer do mundo, com quase 19 mil lojas e faturamento global de US$ 1,6 bilhão em 2021.

No passado, a cadeia foi acusada de ser cúmplice no desmatamento do Cerrado, segunda uma denúncia feita por uma organização internacional. A Mighty Eartch afirmou que o Burger King comprava ração feita com soja, vinda de áreas desmatadas do Brasil, para alimentar o gado que produz carne utilizada em seus hambúrgueres. A companhia prometeu então eliminar fornecedores que estivessem envolvidos com a destruição do bioma.

E o veganismo também está conquistando a alta gastronomia. No ano passado, um dos mais premiados restaurantes do mundo, o Eleven Madison Park, de Nova York, anunciou que passaria a ser totalmente vegano. “O mundo mudou; e nós também. Serviremos um cardápio totalmente baseado em vegetais, no qual não utilizamos nenhum produto de origem animal”, disse o chef Daniel Humm, que tem no currículo três estrelas Michelin.

Dois anos antes, os restaurantes dos parques e hotéis da Disney também se renderam ao veganismo, com mais de 400 opções de pratos sem a presença de carnes, laticínios, ovos ou mel em seu preparo.

Leia também:
‘Tem Floresta na Mesa’: chef Thiago Castanho dá receitas com ingredientes especiais – e inusitados – em campanha pela floresta
Michelle Obama lança na Netflix programa infantil sobre culinária saudável e feita em casa
Livro ‘Ecochefs: parceiros do agricultor’ ganha Prêmio Jabuti na categoria Economia Criativa

“Vegano sem frescura”: livro ensina com muito bom humor receitas de pratos saudáveis e saborosos
Profissionais de saúde britânicos defendem imposto sobre alimentos ruins para o meio ambiente e nossa saúde

Foto: divulgação Burger King UK

Suzana Camargo

Jornalista, já passou por rádio, TV, revista e internet. Foi editora de jornalismo da Rede Globo, em Curitiba, onde trabalhou durante 6 anos. Entre 2007 e 2011, morou na Suíça, de onde colaborou para publicações brasileiras, entre elas, Exame, Claudia, Elle, Superinteressante e Planeta Sustentável. Desde 2008 , escreve sobre temas como mudanças climáticas, energias renováveis e meio ambiente. Depois de dois anos e meio em Londres, vive agora em Washington D.C.

Um comentário em “Com meta de ter 50% do cardápio sem carne até 2030, Burger King lança nugget vegano no Reino Unido

  • 13 de janeiro de 2022 em 8:01 AM
    Permalink

    Veganismo é o caminho e aqueles que já descobriram isso, consumindo ou vendendo, estão no lucro. Animais também preferem que não os matem porque adoram viver, desfrutando do amanhecer, saboreando sol e chuva e curtindo esse negócio chamado VIDA que, tanto quanto consideramos legal e prazeroso, eles também.

    Resposta

Deixe uma resposta